Minhas impressões (MI-28/2017): Romance entre rendas - Loretta Chase #Asmodistas04

 Eu amo Romances de época, algumas autoras me conquistaram mais do que outras... gosto dos livros de Loretta Chase, mas neste livro fiquei um pouco confusa... alguns detalhes ou falta deles me deixaram com uma sensação de "Não sei se gostei..."
 

A Série:

  1. Silk Is For Seduction - Sedução da Seda - Marcelline e Duque de Clevedon
  2. Scandal Wears Satin - Escândalo de Cetim - Sophia e Conde de Longmore
  3. Vixen in Velvet - Volúpia de Veludo - Leonie e Marquês de Lisburne
  4. Dukes Prefer Blondes - Romance entre Rendas - Clara e Oliver "Corvo" Radford
Sinopse



Compre na Amazon BR




Minhas impressões

Eu esperei muito pela história de Lady Clara Fairfax que era a cliente mais desejada e VIP das irmãs Noirot, as Modistas, e que deixou de se casar com o Duque de Clevedon, que se casou no primeiro livro com Marcelline Noirot... sofreu alguns 'perrengues' durante os livros anteriores... rejeitou vários pedidos de casamento e após passar a usar os vestidos e chapéus da Maison Noirot se tornou a mulher mais bonita de Londres.

"As moças eram outro assunto. As fundadoras da Sociedade das Costureiras eram as modistas mais famosas de Londres, as proprietárias da Maison Noirot. Elas faziam as roupas de Clara e a haviam ensinado que um vestido era uma forma de arte e manipulação, além de um modo de expressão. Já a haviam salvado duas vezes de possíveis casamentos catastróficos." posição 4%

O livro se passa à partir de 1835, mas o prólogo começa em 1817, para apresentar o apelido "Corvo" do protagonista, Oliver Radford, passando por 1822 quando os protagonistas se encontram no Royal Gardens, Vauxhall, e apesar da pouca idade de ambos, eles se 'admiraram' pela inteligência e perspicácia.

"A irmã do conde de Longmore, lady Clara, tinha agora, conforme anunciara, oito anos e onze meses de idade.
(...)
Então, por motivos desconhecidos, Oliver se ouviu dizer:
- Lady Clara, você já viu o Heptaplasiesoptron?" posiçao 2%

Quando lady Clara vai à procura do famoso advogado 'Corvo' para pedir ajuda em encontrar um menino desaparecido, um menino pobre, se encontra pela segunda vez com o homem que o 'amigo' do irmão se tornou... mas eles só se lembraram (ou parece que se reconheceram) no segundo encontro.

"Ele tivera certeza absoluta de que ela não se lembrara dele em Vauxhall. Ficou profunda e dolorosamente curioso para saber como ela havia descoberto sua identidade e intrigado com o fato de ela ter conseguido disfarçar tão bem." posição 12%

Apesar de ter dito não para a moça, Radford se vê tentado a ajudá-la e acaba se vendo mais e mais encantado pela moça, não apenas por sua beleza. Eles conversam e discutem de igual para igual e apesar de estarmos falando de 1835... Radford é bem moderno, já entende que as mulheres precisam pensar por si mesmas... e incentiva que ela o ajude, usando disfarces.

"Para uma jovem respeitável e solteira, entrar e sair de um disfarce não era fácil. Disfarçada, Clara não atraía muita atenção, como ela mesma, era tão imperceptível quanto uma exibição de fogos de artifício." posição 19%


É claro que quando um casal começa a ficar muito junto, em momentos de stress, aventuras, o sangue esquenta e às vezes esquentam outras coisas...

"Seu rosto estava a centímetros do dele. Ele quase podia provar sua boca. O lado irracional de Radford, seu outro eu, estava se tornando muito teimoso. Ele afastou aquele ser inútil de sua cabeça e procurou se distanciar um pouco dela, de sua pele cheirosa e sedosa, de sua boca macia." posição 30%

Clara e Radford tem conversas e discussões e até mesmo para se casarem eles argumentam e fazem até um pequeno 'Tribunal' para provar que ele e ela podem e devem se casar e que se farão felizes. (Adorei essa parte do convencimento dos pais dela).

"Os olhos dela brilharam, mas ela afastou as lágrimas, engoliu em seco e continuou. - Pensei que um homem assim fosse tudo o que um homem deveria ser. Pensei que esse era o tipo de homem com quem uma mulher poderia ser feliz, sendo ou não duque, independentemente de quantas casas enormes ele possuísse. Como fui tola. Eu queria o tipo de homem que pudesse amar e respeitar, um homem de quem eu sentisse orgulho ao ver progredir em sua profissão... pois, devido à sua total falta de tato e de charme, ele vai precisar de muita ajuda. Eu queria um homem que me visse não como a moça da moda ou como uma dama bem-comportada, mas que me enxergasse como eu sou, e também como amiga e companheira. (...) E parece achar que eu só seria feliz se me casasse com um duque. Portanto, seguirei seu conselho. Vou me casar com Bernard." posição 53%

Bom... não vou falar muito mais sobre a história, mas preciso explicar... eu sei que gostei do livro, mas achei o livro um pouco confuso em determinados momentos, não sei se por causa da autora ou de alguma tradução, edição ou sei lá... um coisa que me incomodou um tiquinho foi o fato de numa conversa na Polícia Metropolitana de Londres um dos policiais diz a Radford:

"-Deixe-me ligar para Sam Stokes - falou o chefe." posição 19%
Pessoal, como assim ligar? Estamos em 1835 e o telefone só foi inventado em 1876...


Outras coisinhas que não sei explicar me deixaram com a sensação, Ah? Por isso a pontuação será menor. Quero Romances de Época, mas acredito que existem outras autoras mais legais do que Loretta Chase... #prontofalei



Minhas impressões (MI-27/2017) - Como se casar com um marquês - Julia Quinn #AgentesdaCoroa02

Olá pessoal, como estão as coisas com vocês? Por aqui, muita leitura (para não enlouquecer) mas não tenho resenhado tudo, pois ando lendo mais em inglês. Dos lançamentos de Setembro/2017 da Editora Arqueiro, este livro deliciosamente rápido de ler, será o primeiro a ser resenhado, porque o que comecei a ler primeiro é enorme, Coluna de Fogo, de Ken Follett (tem que ser lido mais devagar)...

A 'Série'

  1. Como agarrar uma herdeira - Black e Caroline
  2. Como se casar com um marquês - James e Elizabeth

Sinopse


Compre na Amazon Brasil


Minhas impressões

Como se casar com um marquês é o segundo livro da 'série' Agentes da Coroa, e é um dos primeiros livros escritos por Julia Quinn, lançado originalmente em 1999... eu tenho que começar dizendo que AMEI este livro mais do que o primeiro, AMEI o casal mais do que o primeiro casal...

Pra começar temos a nossa bastante conhecida, para quem já leu a série Os Bridgetons, Lady Danbury, a querida tia Agatha de James Sidwell, o marquês de Riverdale, a quem lady Danbury solicita ajuda. Que James se disfarce de administrador de sua propriedade... então James Sidwell, se torna James Siddons.

"James ficou preocupado. Tia Agatha nunca chorava. Poucas coisas na vida dele haviam sido completa e absolutamente constantes, e uma delas fora Agatha. Ela era sagaz, tinha um senso de humor ácido, amava-o acima de tudo e nunca chorava. Nunca." posição 6%


Elizabeth Hotchkiss é a dama de companhia de Lady Danbury e apesar de jovem, toma conta, cria, para manter unida a família, os irmãos, órfãos como ela, Susan, Jane e Lucas. Mas agora, após cinco anos de muita preocupação, ela vê que o dinheiro que tem não os sustentará por muito tempo e pior ainda não dará condições aos irmãos tão amados. Por isso ela terá que se casar... e com esta 'dificuldade' em mente aparece o livrinho

"Era muito pequeno, encadernado no couro vermelho mais intenso que Elizabeth já vira. (...)
Elizabeth pousou a pilha que carregava e pegou o livrinho vermelho. Estava de cabeça para baixo, por isso ela teve que virá-lo para ler o título:
COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS.
Elizabeth largou o livro, quase como se achasse que um raio a atingiria bem ali na biblioteca. Com certeza aquilo devia se algum tipo de brincadeira. Afinal, naquela tarde mesmo decidira que precisava se casar, e se casar bem." posição 4%

Elizabeth e James se encontram, começam uma relação de colegas de trabalho, mas acabam se encantando um com o outro...

"O coração dele começou a bater mais rápido.
- Sr. Siddons?
James sentiu a pele quente.
- Sr. Siddons?
Ele precisava beijá-la. Não tinha como evitar. Era a ideia mais idiota e menos recomendável que tivera em anos, mas parecia não haver nada que pudesse contê-lo. James se adiantou, diminuindo a distância entre os dois, saboreando com antecedência o momento em que os lábios dele pousariam sobre os dela, e...
- Ui!
Que diabo?" posição 20%

Os diálogos e interação de James e Elizabeth são interessantes e engraçados. Como em todos os livros de Julia Quinn, há um humor bem gostoso, leve e que fazem seus livros serem ainda mais amados.

"- Eu já disse que foi claro! - irritou-se ela.
Antes mesmo que James tivesse a chance de reagir, a Srta Hotchkiss agarrou sua mão e o puxou para fora do roseiral.
James ficou apenas encarando-a por um momento, mais do que um pouco chocado pela força oculta naquele corpo tão franzino.
- Sou desajeitada - disse ela. - Não idiota.
Mais uma vez James se viu sem palavras. Duas vezes em um minuto, sem dúvida era um novo recorde." posição 21%

James se 'assusta' com os sentimentos que sente pela pequena acompanhante de sua tia, o quanto quer estar próximo dela, o quanto deseja beijá-la e viver com ela e com os irmãos dela...

"Queria conhecer o passado, o presente e o futuro de Elizabeth. Queria saber se ela falava francês, se gostava de chocolate e se lera Molière.
Acima de tudo, queria saber os segredos por trás de cada minúsculo sorriso que se abria no rosto dela.
James recuou um passo ao se dar conta disso. Nunca sentira aquele tipo de necessidade ardente de alcançar os cantos mais distantes da alma de uma mulher." posição 29%


Elizabeth se vê em um conflito de sentimentos, porque apesar de gostar, muito, do Sr. Siddons, ela sabe que ele não poderá ajudá-la com as necessidades dos irmãos... no momento James a está ajudando com a necessidade que ela tem de se casar bem, com alguém com renda...

"O Sr. Siddons não tinha dinheiro, ele mesmo dissera isso. Como ela conseguiria mandar Lucas para Eton tendo um administrador como marido? De que forma vestiria e alimentaria Susan e Jane? Susan estava com 14 anos apenas, mas logo iria querer uma festa de debutante. Londres estava fora de questão, mas qualquer evento comemorativo custaria dinheiro.
E aquilo era algo que nem Elizabeth, nem o homem que estava parado diante dela - provavelmente o único capaz de algum dia capturar o coração dela - tinham." posiçao 33%

A história se desenvolve, bem, mas tudo fica bem complicado quando Elizabeth descobre quem James é de verdade, um marquês. E é muito, muito complicado para James se fazer ouvir e ser entendido pela orgulhosa, não tanto orgulhosa, mas um pouco magoada, Elizabeth.

"- Não é pena, Elizabeth. Só que você não precisa daqueles malditos decretos. Tudo o que consegue com eles é abater seu espírito. - Ele passou a mão pelos cabelos. - Eu não conseguiria suportar se você perdesse essa luz que a torna tão especial. Esse fogo manso nos olhos ou o sorriso secreto quando está achando algo divertido... ela teria arrancado isso de você, e eu não estava disposto a ficar assistindo." posição 90%
James se esforça para fazer com que a mulher amada aceite se casar com ele com os sentimentos expostos... abertos.

"- Quando você admitir que é por isso que me quer - disse James, a voz intensa e ardente - então eu me casarei com você." posição 92%

É claro que tudo acaba bem. Adorei a trama, adorei o casal, gostaria de reencontrá-los em outros livros de Julia Quinn, não me lembro de eles terem 'passado' pelos livros que li anteriormente... preciso dizer que não sei se existiam homens tão encantadores no período Regencial... nem na Inglaterra e nem no Brasil... que até hoje é difícil encontrar homens compreensíveis e companheiros como James Sidwell.


Minhas impressões (MI-26/2017): Fortaleza impossível - Jason Rekulak

Este livro é meio que um livro nostalgico, para quem tem mais de 40 anos... mas é também um livro infanto-juvenil, já que os heróis são meninos de 14 anos, mas é passado no final da década de 80, quando os computadores pessoais ainda eram coisas raras de se ter e quando o Microsoft Windows ainda nem existia direito. Eu vivi um pouco deste início, pois tenho mais que 40 anos, e um pouco mais velha que os jovens do livro.


Sinopse


Compre na Amazon Brasil




 "Até maio de 1987, Billy Marvin - um garoto de 14 anos que mora numa pequena cidade em Nova Jersey - é definitivamente um nerd feliz.
Ele e seus amigos inseparáveis, Alf e Clark, passam as noites se empanturrando de biscoitos e milk-shakes diante da TV, assistindo filmes e conversando sobre música, cinema e seriados. Com a mãe trabalhando no horário noturno e a casa toda para si, Billy vara a madrugada fazendo aquilo que mais ama: programando videogames em seu computador.
Mas então a Playboy publica as fotos escandalosas de Vanna White, a famosa apresentadora de TV por quem os três são fascinados. Como ainda não são maiores de idade para comprar a revista, eles planejam um ousado assalto para roubá-la. É quando Billy conhece a brilhante, enigmática e também nerd Mary Zelinsky, e tudo começa a mudar..." Sinopse tirada do hotsite do livro

Minhas impressões



Billy, Alf e Clark são três amigos inseparáveis... moram em uma pequena cidade, Wetbridge, do estado de Nova Jersey e enquanto a mãe (solteira) de Billy trabalha à noite, os amigos comem bobagens, assistem filmes e programas na TV... mas Billy tem um computador, coisa rara em 1987 e principalmente na classe trabalhadora como ele, mas a mãe ganhou o seu Commodore 64, e ele se descobriu apaixonado por programar joguinhos no computador. Tudo em linguagem BASIC. Quando eu tinha 15 anos meu professor de Física nos convidou, a mim e a minha prima-irmã, a fazermos um curso de computação... era programação, em DOS, e eu me arrependo de não ter continuado e quem sabe hoje eu poderia estar trabalhando no Vale do Silício kkk sonhar não custa nada!

"A coisa mais fantástica sobre o Strip Poker com Christie Brinkley é que era impossível comprá-lo nas lojas. Meus amigos e eu fomos os únicos a jogá-lo. Eu mesmo o criei, digitando no computador muitas centenas de linhas do código BASIC." posição 6%

Quando os três amigos descobrem que a Playboy lançou uma revista com fotos de Vanna White, apresentadora de 'A Roda da Fortuna' a última paixonite dos jovens cheios de hormônios do final da década de 80, eles tentam conseguir na única loja da cidade que vende a revista, mas nunca para menores, um exemplar, em uma de suas muitas aventuras mirabolantes, Billy conhece a filha do dono da loja, a jovem gordinha Mary Zelinsky. Mary também adora programar em um Commodore 64, ela faz maravilhas com músicas no C64 da loja do pai.

"Apesar de ele e Clark serem meus melhores amigos, eu não tinha contado aos dois que meu plano secreto, quando crescesse, era criar videogames e viver disso. Eu queria ser o próximo Mark Cerny, o brilhante projetista de jogos contratado pela Atari quando tinha apenas 17 anos. Queria trabalhar com visionários como Fletcher Mulligan, o lendário fundador da Digital Artists, e ter minha própria empresa de software." posição 8%

Juntando um dos planos dos três amigos para conseguir a Playboy de Vanna e a descoberta de Billy sobre o concurso de jogos da Universidade Rutgers para jovens programadores (foi Mary quem contou para ele), Billy resolve pedir ajuda da menina para melhorar um de seus jogos e apresentar no Concurso.

"O melhor dessas tentativas abortadas era um jogo chamado Fortaleza Impossível. Tive a ideia depois de ver uma gravura de uma cara chamado M. C. Escher. Ele inventou um castelo cheio de passagens e escadas que se invertiam. Minha ideia era montar um jogo de pular e escalar num cenário Escher. Os jogadores teriam trezentos segundos para subir uma montanha e penetrar numa gigantesca fortaleza, no meio da qual havia uma princesa presa. Havia guardas e cães de guarda por todo canto..." posição 13%

Billy começa a passar todas as tardes na loja Zelinsky com Mary e à noite estudando outra linguagem de computador para melhorar o Fortaleza impossível... acaba se afastando um pouco dos amigos Alf e Clark... e até mesmo se esquecendo da Playboy, e se esquecendo ainda mais dos estudos... a mãe de Billy sofre (assim como eu, no caso da minha caçula, me identifiquei com a mãe de Billy) com a suas notas.

"- Não me peça desculpas. Não é a mim que você está prejudicando. Três meses atrás, sentados nesta mesa, você me prometeu que ia melhorar. Mas olhe só essas notas." posição 15%

"- Estou ralando para cuidar de você - completou ela. - Cozinho, lavo suas roupas, dou até uma mesada para você. Mas você não está cumprindo sua parte no trato." posição 15%

Só que com o passar do tempo, Billy acaba conhecendo Mary e se apaixonando, mas na juventude, nem tudo são flores... e apesar de eles terem conseguido enviar o jogo para o concurso, por causa das aventuras e planos mirabolantes dos amigos, o 'casal' se separa...

"Bem, não dá para ser u m garoto de 14 anos sem se machucar algumas vezes. Eu já tinha levado porrada em vestiários e rasteiras nos corredores da escola; já tinha sido jogado da minha bicicleta, ralado o joelho, torcido o tornozelo e sangrado o nariz; mas nada tinha me preparado para aquilo. Foi muito pior do que todas essas coisas juntas. Era o tipo de dor que não parava, só ficava pior e pior." posição 54%
Este trecho me lembrou a musica Era uma vez de Kell Smith



Comecei a ler o livro despretensiosamente,e gostei. Apesar da minha nota, lá embaixo, o livro é gostosinho, divertido e me cativou, mas como é um livro mais teen é bem light, e está completamente fora do meu normal de leitura. Valeu para variar o estilo... indico para os jovens de hoje e os jovens dos anos 80.




Minhas impressões (MI-25/2017): Pegando Fogo - Abbi Glines #RosemaryBeach13

Este livro é o último da Série Rosemary Beach 😢😢😢 amo esta turma... quero mais livros, tipo um reencontro de todos os casais e seus filhos e ver a família crescendo. Este livro era esperado e temido, pelo menos por mim, já que Nan é a vilã da série, a irmã malvada, a cunhada temperamental, aquela que ninguém consegue suportar.

"Eu nunca mais amaria outro homem como o amava. Ninguém mais se encaixaria em mim com tanta perfeição." posição 76%

A Série

  1. Fallen too Far  - Paixão sem limites - Blaire e Rush
  2. Never too Far - Tentação sem limites - Blaire e Rush 
  3. Twisted Perfection - Estranha perfeição - Della e Woods
  4. Forever too Far - Amor sem limites - Blaire e Rush
  5. Simple Perfection - Simples perfeição - Della e Woods
  6. Rush too Far - Rush sem limites - Blaire e Rush
  7. Take a Chance - A primeira chance - Harlow e Grant
  8. One more chance - Mais uma chance - Harlow e Grant
  9. You were mine - Para sempre Minha - Tripp e Bethy
  10. When I'm gone - À sua espera - Mase e Reese
  11. Kiro's Emily - Kiro e Emily - não resenhei, mas basta clicar no link ao lado e baixar de graça
  12. When You're back - Ao seu encontro - Mase e Reese
  13. The Best Goodbye - O último adeusCapitão e Rose (Addy)
  14. Up in Flames - Pegando fogo - Nan e Cope

Sinopse

Compre na Amazon Brasil


Minhas impressões


Nan é a vilã da Série Rosemary Beach, desde o primeiro livro ela mostra sua cara, sua maldade, sua inveja, carência... todos os maus sentimentos, e eu estava ansiosa para ver como Abbi Glines iria contar a história dela, mesmo que ela tenha mostrado ao longo dos doze livros anteriores algum, bem pouco sentimento, não achava que seria possível eu torcer por ela... mas me surpreendi, e surpreendi positivamente.

"Eu não era com Blaire ou Harlow. Não fazia os homens quererem mudar por minha causa. Admitir isso me feria profundamente, mas era algo que eu passei a aceitar.
Raiva, autoaversão e sentimentos de inadequação podem transformar uma pessoa em alguém destestável. Amargo. Um monstro." posição 2%
 Nan está sendo vigiada pela equipe de detetives e matadores especializados de DeCarlo, e Major (o primo de Mase) é quem está fazendo o 'trabalho' mais perto, mas ele não conseguiu nada, ele não consegue que Nan confie nele o suficiente para contar sobre seu passado, sobre o último homem com quem se relacionou e que é sobre quem DeCarlo quer detalhes...

"- Claro que ela confia em mim.
Cope se virou rapidamente e seus olhos escuros me fuzilaram de uma forma que faria um super-herói recuar.
- Confia nada. Essa mulher não é burra, Major. Ela sabe. Já esteve com homens suficientes para saber quando está sendo ignorada." posição 4%

E por causa da 'incompetência' de Major entra em cena o todo poderoso e sombrio Cope, que conhecemos um pouco no livro anterior, na história de Capitão. Cope é o 'braço direito' de DeCarlo, com um passado sombrio, ele mata sem dó... ou piedade, e é Cope quem vigia tanto Nan quanto os passos errados de Major, e por causa disso, age, se aproxima de Nan... e isso é INTENSO!!!!

"Meu olhar vagava pelas pessoas e eu já estava entendiada quando deparei com olhar firme de alguém me encarando e fazendo estremecer de medo e entusiasmo. Pude notar o rosto esculpido e os traços fortes, evidentes mesmo debaixo da barba espessa. Meus olhos viajaram mais para baixo. Os ombros largos davam lugar a braços musculosos e a um tórax que parecia prestes a rasgar a camiseta preta.
Então ele começou a andar. Na minha direção. Eu era o seu alvo." posição 6%

Como em todos os livros de Abbi Glines os capítulos são intercalados pelos POV (ponto de vista) de Nan, de Major e de Cope... Major é muito imaturo e egoísta e não conseguiu fazer o trabalho, o primeiro, porque não conseguiu se dedicar e dar atenção para Nan... Nan por sua vez vai se mostrando uma pessoa amadurecida, que sabe de suas dificuldades e o quanto ama Rush (o irmão, por parte de mãe) e o sobrinho.

"O problema era eu, eu e a minha necessidade idiota de ser desejada. De pertencer a alguém. De que um homem acreditasse que eu valia a pena.
Eu queria ser a Harlow de alguém. Ou a Blaire.
Mas eu sempre seria a Nan. E ela não bastava. Nunca havia bastado, e definitivamente não ia mais tentar bastar." posição 35%
Cope por sua vez é um homem profundo, com sentimentos profundos e que apesar de ter um passado triste e de trabalhar com a violência, sabe amar, mesmo que  um amor tão intenso, que pode causar sofrimento e dor, ele é dominador e isso atraiu Nan e a fez se apaixonar por Cope, mesmo sem saber quem ele era.

"Não havia lugar para uma mulher na minha vida. Sobretudo uma mulher como Nan. Alguém que precisava ser amado de verdade.
Eu não era um homem inteiro. Eu era um cretino maluco com um lado sombrio que não devia entrar em contato com a delicadeza de uma mulher como ela. No entanto, eu havia feito isso. Nan abraçara o mal que escorria da minha alma como se quisesse se aproximar da escuridão. Ninguém jamais havia se aberto para mim daquele jeito, com tanta confiança e tanto desejo." posição 77%

O relacionamento de Nan com Blaire vai se tornando mais tranquilo e até começa uma amizade.

"Meu irmão a amava por muitos motivos, e pela atitude dela em relação a mim, dava para entender por quê. O coração de Blaire era enorme, maior do que o de qualquer pessoa que eu conhecia. Eu me sentia grata por ela ser a mulher que amava meu irmão e ser a mãe do meu sobrinho e da minha sobrinha por nascer." posição 87%

Um bom livro, uma boa história, um casal forte e que nos faz torcer pelo final feliz.

"Vilões não nascem vilões. Isso era algo que eu havia aprendido na prática. Que havia testemunhado várias vezes.
Embora Nan não fosse uma vilã, era uma mulher profundamente ferida e magoada. Podia haver algo mais perigoso? Eu duvidava." posição 88% (POV Cope)

Não vou dar a nota completa ou quase lá porque há uma superficialidade e alguns nós por amarrar no final e que fez eu achar que deveria ter mais um livro para finalizar adequadamente a Série Rosemary Beach.






Abbi Glines está lançando novos livros (em inglês) que contam as histórias dos filhos da série Rosemary Beach e de Sea Breeze, a outra série que será lançada pela Arqueiro em breve (nove livros). Já tem lançados os livros de Nate e Lila Kate.