Outubro Rosa - É importante conhecer e prevenir o câncer de mama.

Olá pessoal! O outubro está quase acabando, mas continua ROSA!


Ontem participei de uma palestra muito esclarecedora, com um mastologista, e que me fez perceber ainda mais a importância de falarmos sobre o câncer de mama.

Muitas foram as coisas que ele disse e que quero compartilhar com vocês!

Você sabia que o Câncer de mama é o 2º câncer mais presente no Brasil, só perdendo para o câncer de pele? E apesar da alta incidência do câncer de pele, nem todos os seus tipos são letais, mas que o câncer de mama tem um grande potencial, se não tratado, de levar à morte.


"Por razões mal conhecidas a fase reprodutiva da mulher atual é mais longa: as meninas começam a menstruar já aos onze ou doze anos e a menopausa ocorre depois dos cinqüenta. Além disso, o pequeno número de filhos característicos da maior parte das famílias mantém as mulheres em sucessivos ciclos menstruais, que se repetem exaustivamente por centenas de meses.
O impacto provocado pela ação repetida de estrógeno e de progesterona nos tecidos mamários é responsabilizado pelo aumento no risco de desenvolver câncer de mama apresentado pela mulher moderna.
Nem todas as mulheres, no entanto, têm a mesma probabilidade de desenvolver tumores malignos nos seios; algumas correm mais risco. De acordo com a interferência do estilo de vida na incidência da doença, os fatores de risco costumam ser divididos em dois grupos: inevitáveis e modificáveis." Dr. Drauzio Varella
O câncer de mama se diagnosticado em suas formas iniciais têm grande possibilidade de cura, diversos são os tratamentos. E por isso a importância de se tocar, mensalmente.


Existem alguns fatores de riscos para o câncer de mama, dentre eles:

  • familiares em primeiro grau (mãe, irmãs, filhas ou mesmo pai) com câncer de mama, 
  • quanto mais próximo o parentesco e idade mais precoce do diagnóstico da doença, maior o risco de o câncer ter algum fator genético relacionado e, assim, maior o risco de desenvolvimento do câncer;
  • aumenta o risco, devendo ter mais controle na prevenção;
  • idade: quanto maior a idade, maior o risco. A maioria ocorre a partir dos 60 anos, porém a partir dos 40 anos já notamos um considerável aumento. Antes dos 30 anos é muito raro;
  • hábitos de vida: sedentarismo, obesidade, alto consumo de carne vermelha, baixo consumo de frutas, hortaliças e legumes e consumo de qualquer quantidade de álcool estão relacionados ao aumento do risco do câncer;
  • antecedente de doenças mamárias com atipias celulares;
  • fatores hormonais: primeira menstruação precoce, menopausa tardia, não amamentar, primeira gestação tardia, uso de hormônios;

Principais Recomendações
  • Consulta com Ginecologista e/ou Mastologista - anualmente
  • Mamografia – anualmente após os 40 anos.
  • Exame clínico das mamas – a partir dos 20 anos como parte do atendimento médico integral da mulher.
  • Autoexame – mensalmente, de sete a dez dias após o início da menstruação, quando as mamas estão menos sensíveis. Para as mulheres que não menstruam mais, deve-se escolher um dia no mês.
  • Ultrassonografia – é indicada em casos específicos como exame complementar, particularmente em mulheres jovens, à procura de cistos ou nódulos ou, ainda, para diferenciá-los. Também permite orientar procedimentos como punções e biopsias.


Fontes:
Dentre as coisas que o Dr. Henrique Bartels comentou ontem na palestra, foi sobre o 'Scar Project' um projeto de um fotógrafo americano com pessoas que sobreviveram ao câncer de mama e agora mostram sem vergonha suas cicatrizes. Um trabalho lindo e comovente!

0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.