Minhas impressões (MI-06/14): Fique Comigo - Harlan Coben @editoraarqueiro

Eu amo os livros de Harlan Coben, e este é o primeiro stand-alone dele que leio, porque já li todos (os já lançados no Brasil pela Arqueiro) da Série Myron Bolitar. Harlan tem uma forma de escrever seus suspenses policiais que me cativa, mesclando o suspense com passagens engraçadas, e eu, que demorei muito para ler este livro (#shameonMe) quase não consegui largar, quase virei a noite virando páginas...



Sinopse

Capa original

Minhas impressões

Neste livro como já foi dito na sinopse vamos acompanhando mais de perto as vidas de três personagens que tiveram suas vidas abaladas por um crime (sumiço ou assassinato) ocorrido há 17 anos...

Ray Levine é um fotógrafo, que foi um excelente e renomado repórter fotográfico, mas que após o crime de 17 anos atrás modificou toda a sua vida, para fugir de algo ruim e caiu fundo, quase no fim do poço, agora é um falso papparazzo, contratado por celebridades de terceira, para fingir estar assediando eles...

"O momento terrível - que sua vida mudara completamente, em que ele deixara de ser um homem com futuro e ambições para se transformar em um grande fracassado - nunca o visitava em seus sonhos ou quando ele estava sozinho no escuro. As visões devastadoras esperavam até que ele estivesse bem acordado, cercado de pessoas, ocupado com aquilo que alguns poderiam chamar, sarcasticamente, de trabalho." pag 07

Megan Pierce, ou Cassie como era conhecida há 17 anos fugiu de sua antiga vida e agora, casada, com um homem bom com um amor forte entre ambos, mãe de dois filhos, ela vê sente que seu passado anda a pressionando, principalmente por nunca ter contado nada ao marido Dave. 

"Ela os amava. De verdade. Mas havia momentos, como hoje, em que percebia que, depois de passar a juventude se equilibrando na corda bamba, ela havia se acomodado a uma rotina doméstica de uma mesmice atordoante, forçada a representar o mesmo papel todos os dias, sempre com os mesmos atores. Megan se perguntava por que precisava ser assim, por que somos forçados a escolher um só caminho. Por que insistimos que só pode haver um "eu", uma vida que nos define por completo? Por que não podemos ter mais de uma identidade? E por que precisamos destruir um tipo de existência para criar outro? Estamos constantemente falando sobre como queremos libertar as diversas facetas que há dentro de nós, mas essa diversidade só existe nas aparências. Na verdade, fazemos tudo o que podemos para sufocar esse espírito, para nos conformarmos, para nos definirmos como uma coisa só e nada mais." pag 21

O detetive Broome foi o único policial que continuou intrigado com o desaparecimento, há 17 anos, de Stewart Green, um marido exemplar, pai de dois filhos, sem motivos aparentes para sumir. E continuava acompanhando a família dele a cada ano no dia 18 de fevereiro, data do desaparecimento.

Neste ano ocorreu no dia 18 de fevereiro outro desaparecimento, mas existe uma lista de homens desaparecidos durante todos os anos, com datas não coincidentes, mas próximas a fevereiro e março, que podem estar relacionados. E coincidentemente, tanto Ray, quanto Megan/Cassie e Broome estão buscando a verdade dos fatos de 17 anos atrás.

Cassie e Ray tinham um relacionamento amoroso, apesar dela ser striper em uma boate chamada 'La Creme' onde Stewart Green era um de seus clientes fieis e mais insistentes...

"Pensou em como o passado nunca nos abandona, nem as partes boas nem as ruins; em como o colocamos dentro de uma caixa e a guardamos em algum armário, pensando que nunca mais vamos abrí-la. Então, um belo dia, quando nos sentimos sobrecarregados pelo mundo real, vamos até o armário e pegamos a caixa de volta." pag 37

Ao voltarem ao passado, tanto Ray quanto Megan/Cassie acabam tentando ajudar a polícia a desvendar o desaparecimento atual quanto tentarem descobrir o que realmente aconteceu há 17 anos.

"Megan tentou processar o que Broome lhe contara, mas não importava de que ângulo ela analisasse a questão: nada daquilo fazia sentido. O detetive estava tentando ligar três acontecimentos aparentemente desconexos. Primeiro, um assassinato cometido 18 anos atrás. Segundo, um grupo de homens, como Stewart Green e Carlton Flynn, que haviam desaparecido à razão de mais ou menos um por ano no dia de Mardi Gras - ou por volta da data - ao longo de 17 anos. Terceiro, a tortura e assassinato do pobre Harry Sutton na noite anterior. Se ele tivesse razão, se esses fatos estivessem interligados de alguma forma, Megan não conseguia imaginar que papel o jovem casal, por exemplo, poderia ter desempenhado neles. Eles eram apenas crianças na época do primeiro assassinato e do desaparecimento de Stewart." pag 181

Enquanto Megan tenta ajudar Broome e a polícia, ela se encontra com Ray... isso abala muito os sentimentos do moço, mas ela descobre que apesar de gostar, de ainda ter um carinho por Ray, ela ama de verdade seu marido e seus filhos... tem que lidar com a verdade, contar a Dave tudo, mas temos um suspense antes desta conversa... e também outros suspenses no final, com algumas reviravoltas antes de descobrirmos o 'gran finale'. Eu desconfiei do assassino, mas a trama foi muito bem construída por Harlan Coben, muito bem amarrada, um livro muito, muito bom!!!!
Continuo fã de Harlan Coben, espero mais livros dele... inclusive da Série Myron Bolitar, que já finalizou (Será? Espero que não).

7 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.