Minhas impressões: Belo Desastre - Jamie McGuire @Verus_Editora

1
Em época de Bienal vamos falar de mais um lançamento que será SUCESSO total na Bienal de São Paulo e além.

Eu fiquei muito feliz em receber o kit do livro 'Belo Desastre', uma surpresa deliciosa que eu já estava querendo passar na frente da pilha de livros, daí começaram a 'pipocar' reações na minha Timeline, e 99% positiva, só vi uma única pessoa falando mal da história, mas isso não vem ao caso, porque a verdade é que aqui eu vou falar das minha reações, das minhas impressões.



Sinopse



Minhas impressões


Abby Abernathy é caloura na Universidade Eastern, em Philadelfia, Pensilvânia, mudou-se com sua BFF (melhor amiga para sempre) America, a Mare, para longe da cidade delas, Wichita, Kansas, para começar uma vida nova, uma nova vida, longe dos olhares curiosos de todos onde moravam, e principalmente, longe dos pais de Abby, não vou contar o porquê, vcs vão ter que descobrir... lendo.



"A Eastern era exatamente o que eu esperava, desde as salas de aula menores até os rosotos desconhecidos. Era um novo começo para mim. Finalmente eu podia andar em algum lugar sem os sussurros daqueles que sabiam - ou achavam que sabiam - alguma coisa do meu passado." pag 17


America tem um namorado super fofo, o Shepley, que é primo de Travis Maddox, o garanhão e bad boy da Universidade. Um certo dia Abby vai com America e Shepley a uma das lutas, cladestinas, que acontecem na Universidade cujo maior lutador e vencedor, quase um Anderson Silva, é Travis 'Cachorro Louco' Maddox. E já neste dia Abby e Travis se impressionam muito um com o outro.


"Os limites estavam ficando tênues de novo, e eu me perguntava como passaríamos um mês juntos sem arruinar tudo. As pontas soltas da nossa amizade estavam se enrolando de um jeito que eu nunca tinha imaginado." pag 79



A relação de Abby e Travis é completamente 'louca', eles começam com uma amizade que ninguém da universidade entende, surge um triângulo amoroso, com o certinho, Mauricinho, chatinho do Parker, que só vem para irritar nós leitores (eu não gosto muito de triângulos amorosos) e para colocar 'pimenta' na relação de Abby e Travis. Abby e Travis são jovens, impetuosos, com histórias traumáticas que os fazem ser inseguros, tanto em relação a si mesmos, quanto em relação ao outro, ou ao relacionamento de ambos. Cada um em determinado momento comete erros, que afetam o relacionamento um tanto quanto conturbado dos dois.

"(...) Você me pediu para confiar em você, mas não parece que você não confia em mim.
Ele franziu a testa.
- Isso não é verdade.
- Se você acha que vou te largar pelo primeiro cara que cruzar o meu caminho, então você não confia em mim." pag 212


O livro é repleto de lutas e socos, muita agressividade, não apenas durante as lutas de Travis, mas também em horas em que Travis 'perde a cabeça' e distribui alguns 'supapos' em alguns engraçadinhos, mas ele não é violento com as mulheres, apesar de quando ele estava no período 'garanhão' ele tipo apenas usava as mulheres, que se ofereciam para ele sabendo de como ele era e, talvez, na esperança de conquistá-lo, mas quem consegue essa proeza é Abby, a Beija-flor, ou ainda, simplesmente Flor, apelido que Travis colocou nela desde o primeiro encontro dos dois, e quando ele está com ela, ele vai se transformando, se tornando um homem de fisionomia bad-boy, todo tatuado, careca e malhado, em um homem doce, protetor, chegando a ser muito ciumento, devido a sua insegurança. Abby demora a conseguir aceitar seu amor por Travis e se entregar por completo à relação, ao amor e com isso passar segurança a Travis. A relação dos dois é desastrosa, intensa, meio louca, mas com muito amor e carinho, Travis se transforma em um 'cachorrinho doido' por Abby, e amadurece muito na relação e na vida, assim como Abby. O final é bem fofo.

"Senti as lágrimas encherem meus olhos, mas, antes que elas chegassem ao rosto, os braços firmes de Travis já me envolviam. Na mesma hora me senti protegida, acalentada de encontro à sua pele. Sentir-me tão em casa em seus braços antigamente me dava medo, mas, naquele momento, (...), fiquei grata por me sentir tão segura. Havia um único motivo pelo qual eu poderia me sentir assim.
Eu pertencia a ele." pag 372

Há personagens secundários, além de America e Shepley, como a família Maddox, o pai, Jim, e os quatro irmãos de Travis (Thomas, os gêmeos... Taylor e Tyler e Trenton) que são super acolhedores com Abby e que a fazem sentir em família desde o primeiro encontro deles. Além desses temos o melhor amigo de Abby e Mare, Finch, que é gay e fofo!!! Além dos 'meninos' do time de futebol, das 'barangas' que dão 'mole' para Travis... 

O livro não pode ser considerado YA (jovem adulto) visto que seus personagens são um pouco mais velhos do que os teens do High School, eles são jovens universitários que estão no período das descobertas, de se sentir livres, já que nos EUA os jovens se mudam e vão morar nas universidades, onde vivem em Fraternidades e Alojamentos, repleto de jovens, festas, bebidas, drogas e sexo… diferente, um pouco, do que acontece aqui no Brasil, onde raramente se muda de cidade para fazer faculdade, estamos sempre buscando faculdade próximas às nossas casas, mas as festinhas com sexo, bebidas e drogas acontecem aqui tanto quanto lá e não adianta querermos 'tapar o sol com a peneira' e dizer que isso é muito diferente aqui…

Aqui a autora respondendo sobre a classificação do livro:
Tradução da pegunta e resposta acima:
Belo Desastre não é um pouco picante para ser classificado como Young Adult (jovem adulto)?
Sim, é por isso que é classificado como romance contemporâneo. Belo Desastre é 'classificado' pela autora como maduro pela linguagem forte e conteúdo sexual, e recomendado para maiores de 17 anos.



O livro é narrado em primeira pessoa, por Abby, achei em determinados momentos confusos, não sei se a confusão era de Abby ou da autora. Em alguns momentos a autora fica perdida, em outras corre com os fatos, confundindo um pouco o leitor, mas a história é boa, muito boa, recomendável para pessoas que gostam de romance, e suas sutilezas e não se importam com agressividade, sangue, suor e algumas trapalhadas. Uma história de amor de jovens intensos, apaixonados, com passados que os fizeram como são ou eram. Percebi um crescimento/mudança muito maior por parte de Travis já que Abby teve mais que aceitar estar apaixonada por ele e se entregar.

Fanpage do livro Facebook

Página sobre o livro no site da Autora, inclusive com playlist

A autora está escrevendo o livro pelo ponto de vista de Travis, estou super curiosa, o lançamento em inglês está previsto para 2013. E o livro vai se chamar: Walking Disaster.
Além disso, o livro vai virar filme e 'ouvi' dizer que Jamie pretende escrever um ou não sei se vários livros sobre os irmãos Maddox, o que eu achei muito legal!!!!



Sobre a tradução

Sou suspeita de falar, pois a Ana Death Duarte, a tradutora de Belo Desastre, é minha amiga, e eu nunca tinha lido nenhum livro traduzido por ela, mas sei o quanto ela é criteriosa e isso transpareceu no trabalho da Aninha em Belo Desastre.

Vou aqui exemplificar um coisa, que a Aninha me contou, sobre como é feita a tradução e construção de certos aspectos do livro. No original, o apelido com o qual Travis chama Abby é 'Pigeon' que significa pomba e então o seu diminutivo 'Pidge' é pombinha, mas a mudança sugerida pela tradutora, e acolhida pela Editora, ficou muito... muito mais legal e fofa... já que beija-flor e flor é ainda mais doce e fofo.

"- E Beija-Flor? - respondi com o mesmo desdém. - Um pássaro que fica voando fazendo um barulho esquisito?
- Você gosta de Beija-Flor - disse ele, na defensiva. - É um pássaro lindo, que nem você. Você é meu beija-flor." pag 105




PROMO

  a Rafflecopter giveaway

E a ganhadora, também alguém que sempre está participando do blog, gosto disso, é:
Greiciely, envie seu endereço para o email: fotoselivros@gmail.com

1 comentários:

Ana Death Duarte disse... [Responder Comentário]

Esse livro é realmente o máximo, Ci. Eu AMEI traduzi-lo =]]] E a laitura flui, neh?
Só não concordo com vc comparar o Travis com o Anderson Silva, rs, o TRAVIS É LINDO e, bem, o Anderson é feinho que dói, rs
De resto, adorei sua resenha, passa bem o clima do livro, mas eu ainda acho que a Abby é muito cheia de mimimi e é ela que dá trela pro chato do Parker, ou seja, ela merecia uns tapas de nós, leitoras também hahaha
Beijocas =***

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.

Total de Visualizações de Página - desde o início do blog

Google analytics