Aqui tem banca Harlequin #05 - RESENHA by @paros28: JORDAN - LORI FOSTER (4º LIVRO DA SÉRIES OS IRMÃOS BUCKHORN)


Post fixo em homenagem aos romances de banca Harlequin, sempre às quarta-feira.



SINOPSE


Tradução: Celina Romeu
Tema: Os Irmãos Buckhorn
Edição: RR 064
Nº de Páginas: 288
Formato: 10.7 x 17 cm

Jordan Sommerville curava animais e os resgatava das ruas. Era um homem que poderia seduzir uma mulher apenas com sua voz. Porém, não se aproveitava deste poder com frequência. Seus irmãos brincavam dizendo que ele estava esperando por um modelo de virtude, e muitas mulheres de Buckhorn não cumpriam suas exigências. Até ele conhecer Georgia e todas as suas regras serem quebradas. Georgia Barnes sustentava a si e seus filhos trabalhando como dançarina; por sinal, uma exótica dançarina… Se isso não agradasse Jordan, podia cair fora. E daí que ele fosse o homem mais afetuoso, gentil e cobiçado que ela conhecera? Ainda assim era um homem como outro qualquer. Certamente, não poderia ser tão perfeito quanto parecia… ou será que sim?


RESENHA


Voltando depois de um período afastada do blog, e muito bem acompanhada por Jordan, o quarto livro da série Os Irmãos Buckhorn da autora Lori Foster, quem ainda não leu ou mesmo para quem já leu algum dos livros, “os irmãos” são praticamente a base da testosterona, são homens sensuais, gentis, protetores e quando se apaixonam bastante territoriais.
Cada irmão tem uma profissão o Swayer é medico, o Morgan é o xerife da cidade, Gabe é o faz tudo, e cada livro tem a história de um irmão e a sua “domesticação” após conhecerem sua parceira ideal. A autora não seguiu a ordem cronológica dos irmãos, então na resenha de hoje iremos apresentar Jordan, o terceiro irmão de uma família de 4 irmãos, porém é o quarto livro da série.


Jordan Sommerville era o veterinário da cidade, um dos irmãos mais pacato e discreto, tinha uma voz hipnótica que acalmava os animais, e ao mesmo tempo sedutora em relação as mulheres, porém apesar desse dom natural ele não utilizava em demasia, a sua tranquilidade pode ser comparada a de Swayer, porém após uma ida a um bar para resolver alguns problemas sobre anarquia na cidade, a vida dele sairá da marola e se transformará num tsunami quando ele conhece a dançarina do bar Georgia Barnes.


Georgia Barnes é uma dançarina de bar por obrigação, foi abandonada pelo maido, que a deixou com dois filhos para sustentar, além de ter uma mãe com uma saúde frágil. É uma mulher que já sofre bastante contratempos com somente 23 anos de idade, e o encontro com Jordan ao mesmo tempo foi bastante tumultuado, porém quem sabe poderá mudar a sua vida e resolver seus problemas.


Quem leu os livros anteriores, Jordan sempre passou aquele homem tipo certinho, apesar das brincadeiras e implicâncias dos irmãos, era controlado apesar de uma legião de mulheres através dele, ele era bastante seletivo, ou seja, uma dançarina de bar com certeza não estava na sua lista de conquistas femininas, ao mesmo tempo, Georgia depois de todos os sofrimentos com homens, ou seja, com um homem só (o marido) também não estava interessada em relacionamentos para ter que se decepcionar de novo.


Essa disputa entre a sensatez e o desejo ocorre durante toda a leitura, e para realmente o personagem Jordan me impressionou, achei que o livro seria bem morno, mas não que ele seja muito sexual quanto o livro de Gabe, porém o personagem Jordan é bastante sensual, pois os pensamentos dele em relação à Georgia durante o decorrer da leitura são lascivos e pervertidos.


A personagem Georgia é bastante madura, forte, responsável, gostei desse antagonismo que derruba preconceitos, ou pré-conceitos, já que a profissão que ela exerce sugere o oposto, e ao mesmo tempo a própria Georgia sente desconfortável com a profissão, porém ela consegue impor respeito em relação a Jordan, mas respeitar não quer dizer concordar, Jordan acompanha ela em algumas apresentações o que rende algumas gargalhadas nessas cenas no bar.


E Jordan entra na vida de Georgia e começa a resolver alguns problemas que ela sempre enfrentava sozinha, e isso acaba ocasionando um conflito, ela temerosa que se acostume em ser ajudada, mas ao mesmo tempo cansada de enfrentar tudo sozinha, então muitas vezes ela tenta expulsá-lo, sendo bastante agressiva verbalmente, mas a autora conseguiu fazer o leitor entender tanto o lado de Georgia que você acaba aceitando e entendendo essa revolta dela em relação a ele.


"- Ei – disse Morgan, como se não tivesse acabado de se intrometer. – Vocês dois estão deixando todo mundo constrangido, inclusive eu. Por que não encontram um quarto em algum lugar?
Gabe empurrou Morgan para o lado.
- Você é tão grosseiro, Morgan. – Então se virou para Georgia: - Acabe com a infelicidade dele, querida, Jordan não está acostumado a este tipo de excitação, e Sawyer diz que não faz bem para o coração dele.
Georgia cobriu o rosto com as mãos e riu. Jordan considerou seriamente jogar os irmãos no lago. (...)."

E outra particularidade de Jordan que justifica essa aversão a profissão de Georgia é que de todos os irmãos o único que o pai não esteve presente em sua vida de maneira positiva, nem na dos irmãos, foi o pai de Jordan, já que era alcoólatra o que ocasionou sofrimento e a separação dos pais, e isso o magoa e interfere na vida dele até conhecer Georgia.


Os demais irmãos aparecem bastante nesse livro, achei até mais participação do que nos anteriores, talvez até porque essa nova mudança de atitudes de Jordan os divirtam bastante, e sempre quando está todos os irmãos ou algum apresenta algo diferente, os outros não perdem a oportunidade de tirar uma lasquinha para ironizar, e Jordan se transforma numa vitima em potencial.

"- Eu tinha toda a intenção de mostrar a Elizabeth como estava errada, mas não funcionou como eu pretendia.
Morgan cobriu as orelhas de Amber e disse com remorso:
- Sei o que quer dizer. Você tem planos de dar umas boas palmadas numa mulher, mas, quando desce sua calcinha, esquece o que pretendia e faz outra coisa completamente diferente."

Outro aspecto que achei interessante, quando nos livros anteriores Jordan sempre aparecia para ajudar algum animal, ou seja, sempre a sua profissão aparecia, nesse praticamente não temos o Jordan, o veterinário, o tempo todo, a autora nos mostra o personagem na sua parte íntima de homem, talvez ela tenha feito isso para esconder essa personalidade pecaminosamente sensual de Jordan.


Conclusão: O livro de Jordan se transformou no meu preferido, pois têm personagens tão reais e com vidas tão antagônicas e ao mesmo tempo tão iguais, além dessa sensualidade sutil que a autora conseguiu levar durante todo o livro pretendo a atenção do leitor e instigando sua imaginação, realmente um dos melhores livros da autora dessa série.

O próximo livro é de Casey, filho de Swayer, que aparece bastante nesse livro de Jordan, praticamente igual aos tios, cercado de mulheres, porém uma o abala, Emma Clark, pelo final do livro de Jordan acho que teremos um casal bem interessante.



Não foi lançado Adicione na sua estante Adicione na sua estante Adicione na sua estante Adicione na sua estante Adicione na sua estante Confira os vídeos da autora Siga a autora no twitter Curta ao facebook da autora Confira a página da autora Confira os vídeos da editora Siga a editora no twitter Entre na comunidade Curta a página da editora Confira as novidades e adquira os livros Clique aqui para conferir a resenha Clique aqui para conferir a resenha Clique aqui para conferir a resenha Clique aqui e confira a resenha