Minhas impressões: Mil dias na Toscana - Marlena de Blasi @sextante

Acho que gostei mais da Toscana… que de Veneza…







ISBN 9788575426197
EAN 9788575426197

Sinopse


Mil dias na Toscana

Marlena de Blasi


Há alguns anos, quando se conheceram, Marlena e Fernando se apaixonaram à primeira vista e começaram a viver uma história de amor que mais parecia um conto de fadas. Agora, decidem que chegou o momento de dar adeus a Veneza, onde tudo começou, e partem em busca de uma vida mais tranquila.

O destino escolhido é San Casciano dei Bagni, um vilarejo com 200 habitantes, fontes termais e olivais centenários. De início, Fernando está mais empolgado do que Marlena. No entanto, nesse pedaço de terra onde a Toscana, a Úmbria e o Lácio se encontram, as amizades amadurecem à mesa, em torno de refeições gloriosas regadas a vinho tinto. O que poderia ser melhor para uma chef de cozinha?
Novamente, Marlena e Fernando vivem um caso de amor à primeira vista. Dessa vez pela aldeia e pela vida no campo, pelos vinhos artesanais e pela esplêndida cozinha, pelo céu toscano e pelos sinos da igreja local. Mas, acima de tudo, pelo velho Barlozzo, que os recepciona, os adota e, aos poucos, também se apaixona por eles.
Guiados pelo “duque”, eles descobrem tabernas rústicas, onde o jantar é qualquer coisa que tenha sido colhida ou caçada naquele dia; participam da vindima; visitam festivais sazonais; catam castanhas no bosque; saem para caçar trufas e cogumelos selvagens; sobem em árvores para apanhar azeitonas, uma a uma, e depois experimentam o azeite recém-espremido sobre um pão simples de casca crocante.
À medida que o afeto entre eles vai crescendo, Barlozzo começa a mostrar suas feridas abertas e a revelar seus segredos mais profundos. Um deles tem a ver com Floriana, uma linda e agradável senhora que logo se torna amiga inseparável de Marlena.
Ambientado num dos lugares mais bonitos do planeta, Mil dias na Toscana é uma história sobre um estilo de vida simples, doces paixões, amizades e refeições compartilhadas. E, acima de tudo, é uma história de amor verdadeiro – um amor que não tem idade nem fim.
****
Marlena e Fernando se apaixonaram e se casaram num espaço de tempo incrivelmente curto. Ela é americana, chef de cozinha e crítica gastronômica; uma mulher corajosa e cheia de entusiasmo. Ele é veneziano, bancário; um homem de vida pacata, atordoado pelos fantasmas do passado.
Mas o amor que surge entre eles é tão forte e sincero que consegue superar todas as diferenças e dificuldades. Agora estão prestes a dar outro passo audacioso e deixar para trás a segurança da vida que construíram em Veneza para recomeçar tudo num pequeno vilarejo na Toscana.
A casa que alugam não é exatamente o que esperavam. Na verdade, não passa de um estábulo parcamente reformado. Mas, assim que chegam, os vizinhos se apresentam para ajudar na mudança. Essa recepção simpática termina no bar local, com um banquete composto pelas mais variadas especialidades toscanas – todas em quantidades muito pequenas, exatamente o que seria servido em suas casas.
Logo eles vão descobrir que, naquele lugar escondido, a vida gira em torno da boa mesa. É entre receitas de dar água na boca que o povo toscano discute as mais importantes questões filosóficas.
Enquanto luta contra as frequentes depressões de Fernando e o ajuda a combater seus fantasmas, Marlena se entrega à idílica vida no campo. No entanto, não é o relacionamento deles que está em foco aqui, mas os laços de amizade que formam com um figurão do vilarejo.
Barlozzo, o “duque”, um senhor ao mesmo tempo adorável e ranzinza, vai introduzi-los nas delícias e tradições mais antigas da Toscana. Enquanto os ensina a amar os pequenos e preciosos prazeres do dia a dia, o duque também vai se entregando e, pouco a pouco, revela seus segredos e temores.
Com diversas receitas do repertório da autora – inclusive a da tradicional bruschetta –, Mil dias na Toscana é uma deliciosa viagem a um lugar quase perdido no tempo, uma ode à amizade e às coisas que realmente importam na vida.


Minhas impressões

Neste livro... Marlena e Fernando estão morando na região da Toscana... em San Casciano del Bagni... na Toscana...
eles moram em uma casa... onde antigamente um senhor da região ('parece ser o chefe do vilarejo' pag 19) ... Barlozzo... morou com sua mãe... este homem (Barlozzo) se transforma no melhor amigo dos dois... eles o chamam... sem que ele saiba... de 'O Duque'... 

"Com mais de 70 anos, Barlozzo é alto e magro, seu olhos são tão negros que emitem reflexos prateados. Ele parece ser corajoso. Fascinante. ... Enquanto eu conviver com ele, nunca saberei ao certo se o tempo o está puxando para trás ou o empurrando para a frente. Um cronista, um contador de histórias, um fantasma. Barlozzo é um mago. Esse velho vai se tornar minha inspiração, meu animatore, a alma das coisas para mim" pag 19

além do 'Duque'... eles se tornam amigos de Flori... Floriana... uma mulher... que chega junto deles à casa... e a já se coloca à disposição para ajudar na limpeza... na organização das coisas... na realidade a vida de Marlena e Fernando na Toscana... é muito movimentada... com muitos amigos... encontros diários ... com Barlozzo... e noturnos no 'restaurante' da cidadezinha... onde todos se encontram para 'prosear'... é onde tem o telefone... o fax... e que se transforma no escritório de Marlena e Fernando... seu contato com o mundo exterior... Fernando e Marlena... se envolvem com a comunidade... fazem amigos... e se divertem e conhecem a história da região... da Itália... graças a Barlozzo que os ajuda a construir um forno... um círculo de pedras... e ainda os leva para as colheitas...

A vida deles... parece estar em um momento qualquer do tempo... não se sabe em qual ano... apenas... em qual estação do ano... o livro é dividido em estações do ano... Marlena nos conta as alterações do clima... das plantações... das colheitas (de flores de abobrinha, de azeitona, de uva, de castanha...) tudo de acordo com a época do ano...

Mil dias na Toscana... é uma história de amor... em um livro de receitas... eu quero fazer algumas das receitas de  Marlena... saborear os vinhos da Toscana... os azeites... estou encantada com os segredos guardados neste livro... segredos... tanto culinários... quanto segredos de vida... ensinamentos para a vida... de jovens e velhos... me emocionei com tudo... adorei o fato de as receitas estarem junto dos capítulos onde são citadas... diferente de 'Mil dias em Veneza'... que as receitas estão no final do livro...

Adoro a forma como a tradução foi feita... mantendo as palavras em italiano e em seguida a traduzindo... isso dá uma sensação de que já estamos na Itália... 

Agora... preciso ir para a Itália... para Veneza... para Toscana...


Citações

"Digo a mim mesma: 'Veja a paisagem toscana. Este é o lugar onde todo mundo gostaria de morar. Não há ciprestes em Veneza. Nem oliveiras, vinhedos, ovelhas, prados, campos de trigo, girassóis ou amo menos um único campo de papoulas. Também não há sequer uma braçada de lavanda suficientemente alta atrás da qual você pode se esconder.' Tento não pensar no mar, na luz rosada e na beleza de Veneza que não deixaram de me fascinar um dia sequer." pag 25

"Temos a esperança de que esse lugar nos lembre a vida de verdade, a vida de antigamente, com suas dificuldades e alegrias. Dolce e salata, doce e salgada. Como o jejum antes de um banquete, cada lado da vida engrandecendo o outro. Talvez seja possível viver com esse equilíbrio em qualquer lugar do mundo, mas é aqui, bem aqui, que viemos procurá-lo. Então, pegamos o imprevisível espaço de tempo e os raios de luz que ainda nos restam e corremos para cá. Viemos porque acreditamos que aqui poderemos aprender como funciona o progresso. Temos uma forte suspeita de que há mais paz no retrocesso. Veremos. O que já sabemos é que a vida é efêmera. Daremos a cada dia sua forma mais simples, mantendo as ilusões, senão totalmente ausentes, pelo menos num nível mínimo." pag 37

 "La vendemmia, a vindina, é mais esperada e celebrada do que qualquer outro evento sazonal na vida dos produtores rurais toscanos. O cultivo mais antigo da península italiana é o de uvas e as raízes de sua história se confundem comritos pagãos e sagrados, com a própria vida." pag 88

" ... fico sentada na água quente até ficar fraca e vermelha e começar a chorar. Como sempre acontece comigo, a tristeza não vem de uma única mágoa, mas da reunião de várias, todas se reunindo para me atacar como um bando de harpias. Sinto falta dos meus filhos. Há algo de muito errado com minha amiga de olhos de topázio. E alguma coisa, talvez a mesma, também está afetando o duque. Agora sei que o assunto sobre o qual ele não conseguia falar era seu sofrimento por causa de Floriana. E há também  o que está perturbando Fernando, seja lá o que for. Mas a gota d'água chegou hoje sob a forma de um bilhete de nosso amigo Misha, que mora em Los Angeles. Misha é um homem cujo principal traço é a melancolia russa." pag 164

"Reduza as complexidades. Decante, destile, Misha. Cozinhe os sucos até reduzí-los. Estou atrás de sensações e não de coisas materiais. Apenas o misterioso é eterno. Prefiro sentir esta vida a me tornar tola o suficiente para acreditar que a possuo. A única maneira de estar segura é entendendo que a segurança não existe." pag 211

"Enquadrados pelas chamas, agora pacatas, somos um retrato. Mas será que aquelas duas figuras realmente somos nós? As velas iluminam as gotas de chuva que formam coroas de pequenas contas âmbar em nossos cabelos úmidos. Somos maduros, íntegros, e feitos de veludo, de coisas antigas - gastas mas lustrosas, desbotadas como rosas avermelhadas que ficaram cor de bronze." pag 252


Quero mais livros de Marlena de Blasi... quero conhecer... os lugares que ela descreve em seus livros...




6 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.