Minhas impressões: A Canção do Súcubo @RichelleMead @A_Planeta

Resenhar um livro que você já leu muitas vezes, por ser um dos seus favoritos... é muito mais difícil do que parece... ainda mais quando você já leu todos os outros livros da série e já sabe muito do que acontece depois deste livro... mas eu não poderia deixar de resenhar, mostrar 'minhas impressões' sobre este maravilhoso livro... de uma série deliciosa... 'A Canção do Súcubo'...






5.0
Otros
A canção do súcubo
Richelle Mead
Literatura Local
Páginas: 
304 páginas
ISBN: 
9788576655428
Formato: 
16 x 23 cm.
Encadernação: 
Tapa rústica
Selo: 
Planeta
Nº de Edição: 
1
Publicação: 
Agosto 2010
Preço: R$ 39.90
Sobrenatural invade o selo feminino da Planeta em grande estilo


O nome de Richelle Mead hoje está na boca de todos os leitores de romances sobrenaturais. 
Ela é a autora da conhecida série Academia de Vampiros e faz parte da coletânea Imortal - Histórias de Amor Eterno (Planeta). Agora, passa a integrar Essência, o selo feminino da Planeta, com uma história sensual e aterrorizante.


A Canção do Súcubo não é apenas uma história de fantasia. Longe disso. Neste romance mais do que inusitado, onde demônios, vampiros e anjos caídos convivem com mortais, a autora surpreende com o vigor de sua imaginação.


No centro da história, está Georgina Kindcaid, uma mulher que é não apenas poderosa, mas glamourosa. Ela tem todos os homens a seus pés, mas não pode ter o único homem que deseja. Se ela ceder aos seus impulsos, pode levar seu amado à morte. Mas como resistir a Seth Mortensen, seu escritor favorito, que o destino colocou no seu caminho?


O mundo de um súcubo pode parecer um inferno para quem vê de fora, mas na verdade é delicioso para quem se deixa levar. Toda mulher tem seu lado súcubo.


Súcubo (s.m.) ? Fascinante criatura do mal, do sexo feminino. Capaz de mudar de forma, seduz e dá prazer a homens mortais.



Eu li 'Succubus Blues' em ebook... vejam a foto abaixo... em inglês... assim como os outros livros da série Succubus...


Minhas impressões:

'A Canção do Súcubo' é o primeiro livro da série de Richelle Mead... sobre Georgina Kincaid... uma súcubo... vocês sabem o que é isso?

 Súcubo: Demônio feminino que, segundo crendice popular, aparecia no meio da noite para ter relações sexuais com um homem, causando perturbações ao seu sono.

 Pois é, Georgina é uma 'demônio' que se alimenta da alma, ou partes delas, de homens... durante o sexo... mas Georgina não gosta disso... evita ao máximo esta 'alimentação' e evita ainda mais relacionamentos com homens bons... cuja alma é ainda mais forte e de um poder enorme para ela... Georgina não namora... trabalha em uma Livraria (que sonho) a Emerald City Books & Café, é fissurada pelos livros de Seth Mortensen que tem uma série incrível de livros de mistério e ficção: 'Cady & O'Neil' ... no início do livro ela está super excitada pois no dia seguinte vai ter uma sessão de autógrafos na Emerald... do último livro de Seth... 'O Pacto de Glasgow'... 
Ela tem alguns amigos humanos, seus colegas da Emerald: Doug, Paige entre outros e convive com seus amigos imortais: Hugh, o duende... Peter e Cody, os vampiros... Jerome, o arquidemônio da região de Seatle... o chefão de Georgina e dos outros... e além deles tem Carter, um anjo, que por incrível que pareça anda com esta turma do 'mal'...
A história deste livro 'A Canção do Súcubo'... é super envolvente... mostra as dúvidas de Georgina... conta como foi que ela se transforma em uma súcubo (uma história triste, de traição e arrependimento)... e ainda mostra a dificuldade de Georgina em se relacionar com homens... ela não pode, não quer, namorar, ter encontros com homens bons, por traumas de sua vida imortal... milenar... ela se vê 'apaixonada' por dois homens lindos, diferentes, mas maravilhosos: Seth, o autor (tenho uma queda por Seth) e Roman, um homem super atraente que a tenta querendo ter um relacionamento... mas acontecem coisas muito graves... mortes entre alguns imortais e alguns atentados... que fazem com que Georgina fique curiosa, apreensiva... e tem um final surpreendente que nos faz ficar ansiosos pela sua continuação... que já está chegando... 'O Poder do Súcubo'.

Não posso contar muito mais senão vou soltar spoilers, que eu não gosto de dizer... mas indico... este livro... a série... assim como todos o livros de Richelle Mead...

Momento crítica: são apenas considerações, de quem leu em inglês, que não são críticas reais... adorei a Edição... as letras, o papel... a tradução...

- Eu gostaria de uma capa mais bonita... ok eu sei que é a mesma capa da versão americana... mas o rosto de Georgina é meio 'demoníaco' demais... eu a vejo de uma forma mais angelical... de uma beleza mais suave...
- Como eu li em inglês e não fico procurando no tradutor todas as palavras que não conheço... eu não tinha traduzido imp que é o que Hugh... é no original... e que tem a tradução como:

substantivo: diabinho, duende, moleque, criança levada

eu gosto mais de imaginar Hugh como imp... e não um duende... de orelha espetadas e tal... claro que no livro ele não é assim... ele inclusive é um médico (cirurgião plástico)...


Citações:

" ...um cara não precisa ser surreal nem transcendental para seu um grande escritor. Sei do que estou falando, já vi alguns ao longo dos anos." pag 11

"Súcubos eram agraciados com os dons do carisma e da mudança de forma; vampiros tinham supervelocidade e força. Isso significava que um de nós se dava bem nas festas, e o outro podia quebrar o pulso de alguém com um aperto de mão." pag 12

"Na verdade, eu detestava a violência em todas as formas. Suponho que isto seja o resultado de ter passado por períodos históricos marcados por níveis de crueldade e brutalidade que ninguém no mundo contemporâneo poderia entender." pag 13

"...em geral eu me alimentava de perdedores, caras que não me fariam sentir remorso por causar-lhes dano ou por deixá-los inconscientes por alguns dias. .... Quanto aos caras que mandavam flores, bom, eu os evitava. Para o seu próprio bem." pag 13

" Ele era interessante, de uma forma displicente. O cabelo castanho tinha um brilho ruivo-alourado, que era mais perceptível na barba incipiente. ... e, combinada com a camiseta do Pink Floyd que ele usava, fazia-o parecer uma mistura de lenhador com hippie." pag 20

"Esse cara era uma graça. Eu já não encontrava muitos sujeitos tímidos por aí." pag 30

Georgina só lê 5 paginas de um livro por dia... aqui a explicação:
"- Porque... porque ele é tão bom, e porque a gente só tem uma chance de ler um livro pela primeira vez, e eu quero que dure. A experiência de lê-lo. Senão eu terminaria em um dia, e isso seria... como tomar um pote de sorvete de  uma vez só." pag 37

" Ele era alto, alto de verdade. Tinha bem uns vinte e cinco centímetros a mais que meus diminutos um e sessenta. Seu cabelo era negro e ondulado, penteado para trás, e o rosto tinha um bronzeado profundo, que ressaltava os olhos brilhantes da cor do mar." pag 40

"... a lembrança do toque da mão de Seth me assaltou, a estranha onda de choque de familiaridade que ele desencadeara em mim. Não, decidi, aquilo não fora nada." pag 69

"... Mesmo em meus dias de glória como súcubo, quando eu cultivara de propósito relacionamentos com sujeitos legais, eu os deixava de imediato e desaparecia depois de fazermos sexo. Em alguns aspectos, minha vida agora era ainda mais difícil. Eu evitava a culpa de roubar a energia vital de homens bons, mas por outro lado nunca pude ter uma companhia de verdade. Ninguém que gostasse exclusivamente de mim. Claro, eu tinha amigos, mas eles tinham suas próprias vidas, e aqueles que chegavam perto demais, como Doug, tinham que ser afastados de novo, para seu próprio bem." pag 133

" A absorção dos súcubos dependia do caráter da vítima. Almas fortes e de moral cediam mais para o súcubo, e arrebatavam do sujeito uma bela porção de vida. Os homens corruptos perdiam menos, e as consequencias eram menos graves." pag 150

"Eu sabia que ele não tentaria me beijar, como Roman fizera. Seth estava feliz apenas me olhando, fazendo amor comigo com os olhos." pag 181 

 "Sua camiseta temática daquele dia exibia o logotipo do musical Les Miserables." pag 237

" A dor do amor, justaposta a seu poder de redenção." pag 238 

"Meu fascínio por ele era superficial. Seus livros me faziam venerá-lo como um herói, e nossa amizade tinha vindo no rebote da relação com Roman. Qualquer quedinha ou atração fortuita que ele sentisse por mim iria desaparecer depressa." pag 241

"Ah, Roman. .... Eu não sabia o que havia entre nós, além de um atração abrasadora e um ocasional impulso de solidariedade. Eu não sabia se era amor, ou começo de amor, ou o que fosse. Mas sabia que gostava dele. Muito. Sentia sua falta." pag 241

"Aqueles olhos hipnóticos me fisgaram como um peixe num anzol. Por séculos, eu vivera a imortalidade numa solidão dolorosa, de uma relação de curto prazo a outra, cortando qualquer conexão que se aprofundasse demais.
....Eu queria voltar pra casa contar a alguém sobre meu dia. Queria sair para dançar nos finais de semana. Queria sair de férias com alguém. Queria alguém para me abraçar quando estivesse contrariada, quando os altos e baixos do mundo me tirassem do sério.
Eu queria alguém para amar." pag 262

"Luto todos os dias para não deixar que meu passado me domine. Às vezes eu ganho, às vezes quem ganha é ele." pag 264

"Eu tinha de agir, a despeito do risco, a despeito da possibilidade de não dar certo. Nós todos temos momentos de fraqueza. É a forma como nos recuperamos que conta de fato." pag 270 

Não vou colocar mais nenhuma citação para não atrapalhar o ápice do livro... leiam! Este livro,  sua série e sua  autora estão, sem sombra de dúvidas , no TOPO de minha lista de favoritos...

16 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.