Resenha dupla 'A Sensitiva' - Hannah Howell @luadepapel_BRA

Como falei ontem... hoje teremos uma resenha dupla... eu e Paty... deste romance histórico... o segundo livro da série Wherlocke de Hannah Howell






Autor: Hannah Howell
Páginas: 224
ISBN : 978-85-63066-51-0
Formato : 16×23
Gênero : Romance


Sinopse


Um Cético, uma Mística. Opostos em Quase Tudo... Mas a Química Parecia Irresistível... 


Segredos e intrigas como o estopim de paixões perigosas. Por toda a Londres do século XVII, é possível ouvir sussurros e boatos sobre os dons inexplicáveis da família Wherlocke. Mas o Lorde Ashton, um homem com firmes convicções, é uma das vozes mais céticas de seu tempo, e tudo caminhava para continuar assim... até encontrar uma bela mulher desacordada, largada no quarto de um bordel. 


A mulher misteriosa é Penélope Wherlocke, e seu dom especial a levou para um mundo perigoso de alta sociedade, quando foi sequestrada e vendida a uma cafetina criminosa. Ao vê-la, Ashton ficou enfeitiçado. Algo lhe diz que deveria esquecê-la, mas é atraído cada vez mais para a vida dela, transformando-se em seu protetor. 


Porém, Penélope é uma mulher com ideias próprias, algo que sempre a afastou dos homens de sua época, mas enfim encontra alguém seguro e capaz de lidar com suas habilidades sobrenaturais.






Impressões by 






Penélope Wherlocke é um Lady... filha de um Marquês... mas seu pai morreu... e sua mãe casou com um outro homem... que tinha um casal de filhos... depois da morte da mãe e de seu marido... os filhos... Charles e Clarissa a colocaram para morar no sótão da própria casa... sim a casa em que eles moram pertence a Penélope... mas os malvados dos meio-irmãos... só querem ela morta... 


O livro começa em 1788 quando Penélope é sequestrada e levada para um prostíbulo... e despida e amarrada a uma cama... depois de forçarem ela a beber uma bebida que a deixou completamente grogue...  e, apesar de estarem preparando ela para um homem no dia seguinte... eles a 'liberam' para outro homem... Penélope tem o dom de ver e conversar com fantasmas... e ela sente que alguém morreu na cama que ela está amarrada e também vê uma jovem que foi raptada da família e levada para o mesmo lugar que ela... e quando chega o homem que iria 'desfrutá-la'... ela o reconhece... ele é o Visconde de Radmoor... e está cortejando sua meio-irmã... e Penélope é apaixonada por ele...


Quando Ashton vê aquela mulher deitada/presa à cama... ele não consegue pensar em mais nada... a não ser em tocá-la... eles começam a conversar... e apesar de ela dizer que estava ali contra a sua vontade... ele não consegue entender... antes das coisas se concretizarem... alguns garotos invadem o quarto... 


Penélope é uma moça muito boa... apesar de ser filha legitima de seu pai... ele teve dois filhos ilegitímos e Penélope mantem e cuida de uma casa 'Toca Wherlocke' onde estão as crianças Wherlocke/Vaughn rejeitada por seus pais... filhos bastardos... mas Penélope toma conta deles com muito amor... são crianças que já começam a apresentar seus dons... ela os chama... seus meninos e são algumas desses meninos... dentre elas seus dois irmãos Artemis e Estefan... que invadem o quarto onde Ahston está quase a beijando... e tudo muda... Lorde Randmoor percebe a trama da cafetina... e ajuda os meninos a libertar a irmã... como ela está 'grogue' pela bebida que a Sra. Cratchit a forçou tomar...


Não vou falar muito mais... apenas que Ashton percebe rapidamente todas as tramas que a noiva Clarissa e seu irmão Charles estão tramando para ele e também para a mulher que ama... Penélope... e com a ajuda dos irmãos e primos dela... e também de seus amigos (verdadeiros amigos) conseguem ir se libertando das tramóias...


O livro é repleto de intrigas... uma trama maravilhosa... e com um amor muito lindo... Ashton salva Penélope de várias ameaças a sua vida e eles se envolvem de um modo lindo e arrebatador... ele que no início era um cético que não acreditava na possibilidade de existir pessoas com dons como os da família Wherlocke/Vaughn ao conviver dentro da 'Toca Wherlocke'... aprende a acreditar, a amar e confiar nos dons tanto de Penélope quanto de seus parentes... 


Fiquei encantada com a amizade entre Ashton e seus amigos nobres (Cornell Fincham - terceiro filho de um duque, Brant Mallam - Conde de Fieldgate, Whitney Parnell - Barão de Ryecroft e Victor Chesney - Barão de Fisherton)... uma amizade verdadeira... de homens íntegros... que amam suas mulheres e respeitam os de classes ditas inferiores... a mãe de Ashton Lady Mary é uma mulher forte... que apesar de sofrer com as traições e maledicencias do marido que a deixou e aos filhos repleta de dívidas... ajuda o filho, ajuda Penélope e seus meninos...


Além de continuar mostrando, e ainda mais, como a família Wherlocke/Vaughn é unida e utiliza seus dons para ajudar não apenas a eles mesmo como a pessoas necessitadas... Penélope auxilia os espíritos a encontrar a paz após a morte... (me lembrou um pouco o seriado Ghost Whisperer com a maravilhosa Jennifer Love Hewitt)... 




Mais uma indicação... ENCANTADORA... MARAVILHOSA... um romance histórico muito... muito bom!




Mais uma vez... a Editora Lua de Papel fez um maravilhoso trabalho com a edição... tradução... o livros tem os mesmos detalhes: fita... mandalas... e um cuidado primoroso com o livro.


detalhes no início dos capítulos

Citações

"Ashton sabia que os amigos o consideravam um idealista ou, poior, um romântico incurável, mas ele sempre sonhou com um bom casamento. Não queria para si os arranjos que se viam na sociedade, no quais a esposa não passava de uma anfitriã que paria os filhos do casal enquanto o marido se deliciava com uma longa lista de amantes. Esse tipo de casamento tinha destruído sua família, dilacerando o coração de sua pobre mãe. Pelo decorrer dos acontecimentos, aparentemente este também seria o seu destino." pag 15


"Ele roçou os lábios sobre a boca tentadora, e o calor que fluiu se espelhou pelo corpo.- Você tem um gosto tão bom. - Ashton esperou que ela não tivesse percebido a surpresa na sua voz, então se perguntou por que estava tão preocupado em não ofendê-la. - Você é um banquete que eu poderia saborear por horas." pag 21

"- Acho que 'dotados' seria uma palavra melhor. É o que dizem sobre eles, apesa de eu não ter certeza da veracidade desse boato. Meu primo, no entanto, tinha quase certeza disso. Dizem que os Wherlocke e seus parentes, os Vaughn, possuem habilidades incomuns, que podem prever o futuro, se comunicar com espíritos, e outros talentos do tipo. É por isso que são um tanto reclusos." pag 38


"Lady Mary suspirou.- Mas eu gostaria que além de se casarem bem, meus filhos também se casassem por amor. E não ria, pois isso acontece. E é isso que faz um casamanto ser bom, que mantém as pessoas unidas não importa o que venha atingílas ao longo da vida. Mas as besteiras que seu pai fez roubaram esta chance de você.- Serei feliz - ele disse, apesar de saber que era mentira.- Não com aquela mulher. Ela forçou este noivado, roubou-lhe a opção de mudar de ideia ou até mesmo de olhar para outra mulher. Ela esconde a própria irmã como se a garota fosse algum segredo sujo. Diga, esta tal de lady penélope é uma moça bonita?" pag 56


As próximas duas citações são para mostrar a beleza da amizade entre Ashton Radmoor e seus quatro leais amigos:

"Estamos fazendo isso não apenas pelo seu benefício, mas pelo nosso também. Além do mais, todos nós já havíamos separado uma quantia de dinheiro para ajudá-lo quando seu orgulho permitisse." pag 74

"Seus amigos pelo visto estavam dispostos a descobrir se realmente havia um corpo na adega da Sra. Cratchitt, isso se ela tivesse mesmo uma adega. Ele já deveria ter imaginado que eles iriam querer se meter nisso. Eram frequentadores dos bordéis, mas esperavam serem atendidos por mulheres que conheciam as regras do jogo, não por jovens arrastadas contra a vontade por uma madame gananciosa. a ideia de uma jovem inocente, não importava a classe social, ser arracada do seio de sua família e jogada em uma vida triste ultrajada a todos. Seria impossível impedi-los de fazer seja lá o que estivessem planejando, assim como fora impossível deter os garotos." pag 80

"Lady Mary levantou, apanhou a bandeja vazia e ajudou Penélope a beber mais um pouco do suco.- Foi muito intrigante. Acho que passei a acreditar mais nestas coisas depois que vi Jerome fazendo aquilo. O seu irmão, Estefan, agiu rápido para contê-lo. - Ela pousou a caneca vazia no criado-mudo. - Posso imaginar quantas tragédias tais coisas devem ter causado aos seus, mesmo assim deve ser fascinante viver em uma família abençoada por tantos dons miraculosos." pag 120

"Mais uma vez, Penélope contou toda a sua história, seus problemas, os problemas de Ashton e todas as suspeitas deles. Esperava apenas que outros parentes seus não chegassem, pois ela estava ficando cansada de contar a mesma história. E a parte que menos gostava era quando precisava dizer me voz alta que ela e Ashton não poderiam se casar, pois se machucava cada vez que repetia." pag 161

"Mas com você, não tive coragem de agir como um caça-dotes. Eu queria chegar à mulher que amo com os bolsos cheios e sem precisar do dinheiro dela. Queria que o mundo soubesse que a escolhi não pelo peso da sua bolsa, mas porque ela era a única mulher que eu queria. - Ele recuou um pouco, sem saber o que fazer quando percebeu lágrimas brilharem nos olhos dela. - Isso a fez chorar?- Você me ama. - Ela finalmente se rendeu ao desejo que vinha se apossando dela desde o começo e se atirou nos braços dele.- Sim, eu a amo. - Ele se deliciou com a sensação de tê-la em seus braços." pag 202


Os dois livros da série, já lançados no Brasil, em minha estante:


O próximo livro da série Wherlocke irá se chamar 'A Intuitiva' e a Lua de Papel no disse que deve sair mais para o final do ano... estou ansiosa pelo próximo, não pelos próximos livros desta encantadora série de Hannah Howell.


Eu não vou mais me aventurar a fazer montagens... pois eu não sou tão competente quanto a Paty para tais maravilhas... ainda mais quando estamos fazendo resenha dupla... leiam a resenha dela e se deliciem com suas montagens.




Resenha by




RESENHA
por paros28
O livro da resenha de hoje e do segundo livro de uma série intitulada Wherlocke, é sobre uma família “enorme” que possui dons paranormais, além dos Wherlocke, existe os Vaughn, ou seja, cada livro é de um determinado membro dessas famílias, são conhecidos por serem excêntricos e por causa de certos dons preferem o isolamento.
Em relação aos dons, são diversos, tanto preverem o futuro, como conversar com espíritos, ou lerem mentes, eles muitas vezes não são compreendidos pela sociedade, o que fazem deles serem bastante misteriosos.
A autora Hannah Howell, é conhecida aqui no Brasil, como rainha dos romances de banca, e de sagas longas, a mais famosa é Terras Altas e se não me engano, acho que são em torno de 16 ou mais livros, além de outros, os romances dela são bastante sensuais, e os protagonistas são fortes e decididos, são personagens sem crises existenciais...


Voltando para série que a Lua de Papel está lançando no Brasil, sendo que o primeiro livro dessa série A Vidente, já resenhado no blog, agora no mês de junho a editora lançou A Sensitiva, o livro da resenha de hoje.


O livro A Sensitiva eu achei mais interessante que A Vidente, já que ele é bastante movimento, logo no inicio do livro você se depara com o rapto da protagonista, Penélope Wherlocke, o encontro dela com lorde Asthon Radmoor, um fantasma, o seu resgate e a descoberta por trás de tudo isso é de uma trama ardilosa. Nossa já acabou o livro??? Não a recém estou na página 30.



Como falei... movimentado... mas vamos por partes, Penélope Wherlocke é uma herdeira empobrecida, pois os meio-irmãos a isolaram na sua própria casa, quando os pais morreram, e tomaram posse de tudo, tanto que o rapto de Pen (desculpa a intimidade) ela desconfia ou tem quase certeza que foi um dos primos que orquestrou, nesse rapto ela vai parar num bordel, onde é dopada para servir de presente para uma certa pessoa... porém a dona do bordel por razões que só lendo o livro para saber... prepara Pen para uma despedida de solteiro e adivinha de quem ???? de Lorde Ashton Radmoor...


Despedida de solteiro??? Sim ele terá que se casar com a prima da Pen, Clarissa (mimada, fútil entre outras coisas nada agradáveis), já que o seu pai o deixou quase na miséria, obrigando-o a casar com uma herdeira para o bem de sua família (mãe, 2 irmãs, 1 irmão, 2 tias), quando vê Pen, apesar de achar que é uma prostituta, sente uma atração por ela.

Os diálogos desse encontro são ótimos, e toda aquela tensão sexual, já que ela mesmo estando naquelas condições ela já tem uma atração por ele faz algum tempo, porém depois do mal entendido ela é resgatada, toda essa parte do rapto ao resgate é bem tensa e ao mesmo tempo hilária.


Não esqueci não do fantasma, é que Penélope tem o dom de ver pessoas mortas, e a revelação desse fantasma, que tem uma ligação com uns dos amigos de Asthon, que colocam tanto Penélope como Ashton a uma investigação, ela para recuperar a herança que lhe é de direito, e ele para se livrar do casamento indesejado.

Outro fato interessante no início do livro é a quantidade de personagens, até fiz uma brincadeira abaixo:

Curiosidade: Os personagens do livro crescem iguais a coelhos!!!!


E se no inicio já é movimentado, no decorrer do livro fica bem mais, Pen sofre diversos atentados a sua vida, e por incrível que pareça não é sempre da mesma pessoa, ambos suspeitos que apesar de serem conhecidos, mas não torna o livro previsível, já que durante a narrativa serão mostrados os verdadeiros motivos, e as revelações se tornam surpreendentes.



Pen é uma batalhadora, apesar de ter perdido tudo, ela ainda cuida de um bando de crianças, filhos de primos, tios de relacionamentos espúrios, todos possuem dons também, e também cresce absurdamente o número de personagens, além dos citados que não aparecem no livro, dessas crianças se destaca Paulinho que é uma figura, quando ele aparece é riso na certa.

Esse livro é bem mais hot e sensual que A Vidente, os momentos que são vários, entre Asthon e Penélope, são bem sexuais e sensuais... Além dos momentos reais, tem os pensamentos de ambos que também são picantes... O livro indicado para esse rigoroso inverno...


Devo ressaltar que mesmo com essa superpopulação de personagens, a narrativa não fica confusa, acho que a autora tem uma boa prática com numerosos personagens, não deixa o leitor perdido, ela consegue definir cada um sem deixar a leitura arrastada ou monótona.

Em minha opinião essa série será extensa, espero que a lua de papel publique todos os livros que estão por vir, porque serão vários, no em Sensitiva eu fiquei curiosa para saber da vida de pelo menos uns 5 personagens, que acho que podem ter seu livro próprio.




O livro A Sensitiva é um livro empolgante, movimentado, forte, com momentos de emoção e ao mesmo tempo com momentos divertidos, um bom romance sensual, e tudo na medida certa, e aguardando ansiosamente por Intuitiva pelo que li no final desse livro será muito interessante.


Marcador
de 
Livro



5 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.