Minhas impressões (MI-28/2017): Romance entre rendas - Loretta Chase #Asmodistas04

 Eu amo Romances de época, algumas autoras me conquistaram mais do que outras... gosto dos livros de Loretta Chase, mas neste livro fiquei um pouco confusa... alguns detalhes ou falta deles me deixaram com uma sensação de "Não sei se gostei..."
 

A Série:

  1. Silk Is For Seduction - Sedução da Seda - Marcelline e Duque de Clevedon
  2. Scandal Wears Satin - Escândalo de Cetim - Sophia e Conde de Longmore
  3. Vixen in Velvet - Volúpia de Veludo - Leonie e Marquês de Lisburne
  4. Dukes Prefer Blondes - Romance entre Rendas - Clara e Oliver "Corvo" Radford
Sinopse



Compre na Amazon BR




Minhas impressões

Eu esperei muito pela história de Lady Clara Fairfax que era a cliente mais desejada e VIP das irmãs Noirot, as Modistas, e que deixou de se casar com o Duque de Clevedon, que se casou no primeiro livro com Marcelline Noirot... sofreu alguns 'perrengues' durante os livros anteriores... rejeitou vários pedidos de casamento e após passar a usar os vestidos e chapéus da Maison Noirot se tornou a mulher mais bonita de Londres.

"As moças eram outro assunto. As fundadoras da Sociedade das Costureiras eram as modistas mais famosas de Londres, as proprietárias da Maison Noirot. Elas faziam as roupas de Clara e a haviam ensinado que um vestido era uma forma de arte e manipulação, além de um modo de expressão. Já a haviam salvado duas vezes de possíveis casamentos catastróficos." posição 4%

O livro se passa à partir de 1835, mas o prólogo começa em 1817, para apresentar o apelido "Corvo" do protagonista, Oliver Radford, passando por 1822 quando os protagonistas se encontram no Royal Gardens, Vauxhall, e apesar da pouca idade de ambos, eles se 'admiraram' pela inteligência e perspicácia.

"A irmã do conde de Longmore, lady Clara, tinha agora, conforme anunciara, oito anos e onze meses de idade.
(...)
Então, por motivos desconhecidos, Oliver se ouviu dizer:
- Lady Clara, você já viu o Heptaplasiesoptron?" posiçao 2%

Quando lady Clara vai à procura do famoso advogado 'Corvo' para pedir ajuda em encontrar um menino desaparecido, um menino pobre, se encontra pela segunda vez com o homem que o 'amigo' do irmão se tornou... mas eles só se lembraram (ou parece que se reconheceram) no segundo encontro.

"Ele tivera certeza absoluta de que ela não se lembrara dele em Vauxhall. Ficou profunda e dolorosamente curioso para saber como ela havia descoberto sua identidade e intrigado com o fato de ela ter conseguido disfarçar tão bem." posição 12%

Apesar de ter dito não para a moça, Radford se vê tentado a ajudá-la e acaba se vendo mais e mais encantado pela moça, não apenas por sua beleza. Eles conversam e discutem de igual para igual e apesar de estarmos falando de 1835... Radford é bem moderno, já entende que as mulheres precisam pensar por si mesmas... e incentiva que ela o ajude, usando disfarces.

"Para uma jovem respeitável e solteira, entrar e sair de um disfarce não era fácil. Disfarçada, Clara não atraía muita atenção, como ela mesma, era tão imperceptível quanto uma exibição de fogos de artifício." posição 19%


É claro que quando um casal começa a ficar muito junto, em momentos de stress, aventuras, o sangue esquenta e às vezes esquentam outras coisas...

"Seu rosto estava a centímetros do dele. Ele quase podia provar sua boca. O lado irracional de Radford, seu outro eu, estava se tornando muito teimoso. Ele afastou aquele ser inútil de sua cabeça e procurou se distanciar um pouco dela, de sua pele cheirosa e sedosa, de sua boca macia." posição 30%

Clara e Radford tem conversas e discussões e até mesmo para se casarem eles argumentam e fazem até um pequeno 'Tribunal' para provar que ele e ela podem e devem se casar e que se farão felizes. (Adorei essa parte do convencimento dos pais dela).

"Os olhos dela brilharam, mas ela afastou as lágrimas, engoliu em seco e continuou. - Pensei que um homem assim fosse tudo o que um homem deveria ser. Pensei que esse era o tipo de homem com quem uma mulher poderia ser feliz, sendo ou não duque, independentemente de quantas casas enormes ele possuísse. Como fui tola. Eu queria o tipo de homem que pudesse amar e respeitar, um homem de quem eu sentisse orgulho ao ver progredir em sua profissão... pois, devido à sua total falta de tato e de charme, ele vai precisar de muita ajuda. Eu queria um homem que me visse não como a moça da moda ou como uma dama bem-comportada, mas que me enxergasse como eu sou, e também como amiga e companheira. (...) E parece achar que eu só seria feliz se me casasse com um duque. Portanto, seguirei seu conselho. Vou me casar com Bernard." posição 53%

Bom... não vou falar muito mais sobre a história, mas preciso explicar... eu sei que gostei do livro, mas achei o livro um pouco confuso em determinados momentos, não sei se por causa da autora ou de alguma tradução, edição ou sei lá... um coisa que me incomodou um tiquinho foi o fato de numa conversa na Polícia Metropolitana de Londres um dos policiais diz a Radford:

"-Deixe-me ligar para Sam Stokes - falou o chefe." posição 19%
Pessoal, como assim ligar? Estamos em 1835 e o telefone só foi inventado em 1876...


Outras coisinhas que não sei explicar me deixaram com a sensação, Ah? Por isso a pontuação será menor. Quero Romances de Época, mas acredito que existem outras autoras mais legais do que Loretta Chase... #prontofalei



0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.