Minhas impressões (MI-08/2017): Os mistérios de Sir Richard - Julia Quinn - Quarteto Smythe-Smith 04

Como eu disse na resenha anterior, após terminar a leitura deste livro e do quarteto estou me sentindo deprimida, estou relendo os livros, na medida do possível, não quero me despedir dos personagens.



O Quarteto:


  1. Simplesmente o Paraíso - Honória Smythe-Smith & Marcus Holroyd
  2. Uma noite como esta - Daniel Smythe-Smith & Anne Wynter
  3. A Soma de Todos os beijos - Sarah (Smythe-Smith) Pleinsworth & Hugh Prentice
  4. Os Mistérios de Sir Richard - Iris Smythe-Smith & Richard Kenworth

Sinopse

Compre na Amazon BR


Minhas impressões

Iris Smythe-Smith aparece nos livros anteriores, sofrendo por ter que tocar seu violoncelo nos recitais Smythe-Smith... mas apesar disso suas aparições são tímidas, 'pálidas' e não me chamaram muita atenção... até que ela aparece neste livro... ela e seu herói Sir Richard Kenworth são deliciosamente inteligentes e cativantes.

Este livro começa no Recital Smythe-Smith de 1825, quando Sir Richard após vários anos longe da vida Londrina precisa voltar para encontrar uma noiva... ele precisa se casar logo... e porque não ir ao recital com o amigo Winston Bevelstoke

"- Você as conhece? - insistiu. - Já lhe foram apresentadas?
(...)
-As garotas Smythe-Smiths? - Winston deu de ombros. - A maioria. Deixe-me ver, quem vai tocar este ano? - Ele consultou o programa. - Lady Sarah Prentice ao piano... Que estranho, ela é casada.
Maldição.
- Em geral, são apenas as solteiras que tocam no quarteto - explicou Winston. - Quando se casam, não participam mais.
Richard sabia muito bem disso. Inclusive, essa fora a principal razão para ter aceitado aquele convite. Quando um cavalheiro de 27 anos, ainda solteiro, reaparecia em Londres após três anos fora... não era preciso ser uma casamenteira para saber as intenções dele.
Só não esperava ser obrigado a agir com tanta pressa." posição 73% (Box ebook)

O que Richard não imaginava era que elas tocassem tão mal e que ele fosse se encantar por uma das Flores Smythe-Smith...

"Ficou fascinado pela moça, por aquela pequena mulher que tentava se esconder atrás de um grande Violoncelo. Ela, pelo menos, tinha consciencia de que o conjunto era horrível. Sua tristeza era intensa, quase palpável. Cada vez que a jovem chegarva a uma pausa na partitura, parecia se encurvar, como se pudesse se encolher até desaparecer com um puff.
Era a Srta. Iris Smythe-Smith, uma das flores. Era assombroso que fosse parente de Daisy, que estava alegremente alheia a tudo e seguia se contorcendo com o violino." posição 74%

Ao mesmo tempo que Richard observa Iris, ela sofre por estar mais um ano neste martírio que é o recital, e pensando se aquele seria, enfim, sua última apresentação.

"Iris localizou o ponto certo na partitura e recomeçou a tocar, aliviada ao perceber que estavam se aproximando da conclusão do recital. Ela só precisava tocar as notas finais, fazer uma reverência como se realmente estivesse agradecida e tentar sorrir em meio aos constrangidos aplausos.
Então, poderia alegar uma dor de cabeça, voltar para casa, fechar a porta do quarto, ler um livro, ignorar Daisy e fingir que não precisaria fazer tudo de novo no ano seguinte.
A menos, é claro, que se casasse." posiçao 74%

Depois que Richard e Iris se conhecem, no próprio dia do recital, ele já a visita no dia seguinte, e começam a conversar... e vão criando uma relação que deixa toda a família Smythe-Smith interessada. A Corte de Richard a Iris é bem agradável, inclusive à própria, que apesar de desconfiada está gostando de tudo...

"-Srta. Smythe-Smith, me daria a grande honra de dançar comigo?
Iris sorriu amplamente, incapaz de fingir uma sofisticada indiferença. Pousou a mão na dele e o seguiu até a pista, onde os casais se alinhavam para um minueto.
Os passos eram intricados, mas, pela primeira vez, Iris sentia que estava seguindo a dança sem ter que pensar no que fazer. Os pés sabiam aonde ir, os braços se levantavam nos momentos exatos e os olhos dele - ah, os olhos dele... - nunca deixavam os dela, nem mesmo quando a dança os levava a trocar de par.
Iris nunca havia se sentido tão estimada. Nunca havia se sentido tão...
Desejada." posição 76%


Claro que o casamento ocorre dentro do prazo que Sir Richard tinha se imposto, mas Iris desconfiava que havia algo por trás da pressa de Sir Richard em casar e voltarem logo para o Norte, onde é a casa dele, agora deles... as irmãs e tutoradas de Richard, Fleur e Marie-Claire não estão na casa quando eles chegam.

"Ele ainda era um mistério. Continuara a cortejá-la durante o breve período entre a aceitação do pedido e o casamento, e Iris não podia negar que ele era mais do que encantador. Mas ainda não se atrevia a confiar nele sem reservas.
Mas gostava de Sir Richard. Gostava muito. Ele tinha um senso de humor perverso que combinava com o dela, e Iris acreditava que se tratava de um homem de moral e bons princípios.
Na verdade, não era bem um crença, apenas uma hipótes ou uma esperança. Seu instinto lhe dizia que tudo ficaria bem, mas ela não gostava muito de confiar nos próprios instintos." posição 81%

 
Sir Richard encontrara uma esposa muito mais agradável do que ele previra... a esposa era inteligente, cativante e amava a família e ele estava encantado, será que já a amava?

"Richard se limitou a sorrir, admirando a facilidade da esposa para lidar com a governanta. A cada dia - não, a cada hora - ele aprendia algo novo sobre ela. E, a cada revelação, dava-se conta da sorte que tivera ao escolhê-la. Era muito estranho pensar que provavelmente não teria olhado nem duas vezes para ela se não se visse forçado a encontrar uma noiva com tanta urgência." posição 86%


Algumas vezes Iris demonstra a Richard que percebe que há algo que ele esconde dela e pede que lhe conte ou que lhe trate como esposa e lhe diga a verdade.

 "- Não me trate de forma condescendente. Por que você forçou o casamento? Por que precisava ser tão rápido?
- Isso é importante?
Ela deu um passo para trás.
- Sim - respondeu em voz baixa. - Sim, acredito que sim.
- Você é minha esposa - replicou ele, os olhos flamejantes. - Jurei que lhe daria minha fidelidade e sustento. Ofereci a você tudo o que possuo, dei a você o meu nome." posição 88%


Richard a ama, a deseja, mas apesar de estarem casados, ele não consegue ser totalmente honesto com a esposa, tem medo de perder o tempo tão amistoso que tem juntos.

"Richard a segurou até ela adormecer. Então, deslizou para fora da cama e cambaleou até o próprio quarto.
Não podia dormir na cama dela. Nao confiava em si mesmo para despertar em seus braços." posição 89%


Quando as irmãs de Richard, de quem ele é o tutor há 7 anos, retornam para Maycliffe, as coisas ficam mais tensas e ele precisa declarar os seus mistérios para Iris e então Iris sofre... e Richard também.

"Chegou a pensar que estava se apaixonando por ele.
E a pior parte era que Richard podia mesmo obrigá-la a fazer o que propunha. Em um casamento, a palavra do homem era a lei, e o dever da esposa era obedecer. Ah, ela poderia correr para casa dos pais, mas eles acabariam enviando-a de volta a Maycliffe." posição 91%

Mas temos uma mulher forte, com cabeça dos novos tempos, vivendo em uma época antiga... e o final é claro é feliz, principalmente pela inteligência de Iris em resolver os problemas de Maycliffe.

AMEI, AMEI, AMEI o livro, o quarteto e indico que todos leiam, como eu, um em seguida do outro.


Fiquem atentos no carnaval... vou lançar uma promoção deste quarteto maravilhoso!

    0 comentários :

    Postar um comentário

    Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

    Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

    Deixe seu nome e/ou twitter.