Minhas impressões (MI-07/15): Para Sir Phillip, com amor - Julia Quinn @editoraarqueiro #RomEpocaArqueiro

Eu nao tenho palavras para o tanto que amo os Romances de época da Editora Arqueiro, eu nao consigo nem mesmo decidir qual das séries amo mais...

" Tudo havia começado mesmo com uma carta, percebeu ela. Algo tão inocente, tão inofensivo, e tinha se transformado naquilo, um amor tão rico e tão completo que ela mal podia conter." 95%




A série:
  1. O Duque e eu - Daphne Bridgerton e Simon Hastings
  2. O Visconde que me amava - Anthony Bridgerton e Katherine 
  3. Um perfeito Cavalheiro - Benedict Bridgerton e Sophie
  4. Os segredos de Mr. Bridgerton - Colin Bridgerton e Penelope
  5. Para Sir Phillip com amor - Eloise Bridgerton e Phillip Crave
  6. O conde enfeitiçado* - Francesca Bridgerton
  7. Um beijo inesquecível* - Hyacinth Bridgerton
  8. A caminho do altar* - Gregory Bridgerton 

Sinopse


Minhas impressões

Julia Quinn é primorosa na criação de uma família grande e marcada pela perda do pai, mas que têm uma mãe maravilhosa  (eu queria ser um décimo do que Violet Bridgerton é) e a amizade entre os oito Bridgertons é incrível.

Neste quinto livro da série vamos acompanhar a história de amor da quinta... a letra E do alfabeto: Eloise Bridgerton. Eloise já é considerada uma solteirona, nao por falta de propostas, mas ela é muito honesta com si mesma, e a família é tão suportativa que ela pode declinar várias propostas.


Mas agora, aos 28 anos com alguns sobrinhos e seus irmãos mais velhos casados, até a irmã abaixo dela, Francesca, ja viúva, e com sua melhor amiga, Penelope, aquela que ela achou que ficaria solteira com ela para sempre, casada e muito bem casada com seu irmão  (aquele que ela tem mais afinidade) Colin. Eloise começa a se sentir solitária e resolve fazer uma 'loucura'.

"Mas agora Penelope tinha Colin, e Eloise podia ver que encontrar seu companheiro era algo maravilhoso. E ela estava sozinha. Sozinha em meio a uma Londres cheia de gente, em meio a uma família grande e amorosa. Era difícil imaginar um lugar mais solitário. De repente, a proposta ousada de Sir Phillip – escondida no final de sua pilha de cartas amarradas, no fundo da gaveta do meio, e trancada em um cofre recém-adquirido, para que Eloise não ficasse tentada a ler a carta um monte de vezes por dia – parecia, bem, um pouco mais intrigante." posição 7%

Phillip Crane se casou, por ser muito correto, com Marina, a noiva do irmão morto na guerra,  Waterloo, mas nunca foi feliz, por ter assumido o lugar do irmão e por ter uma mulher depressiva, que piorou com o nascimento dos filhos gêmeos, Oliver e Amanda.

"A governanta o enxotara do quarto assim que os dois colocaram Marina na cama, insistindo que ele trocasse as próprias roupas antes que também ficasse doente. Phillip voltara depois para ficar ao lado da esposa. Aquele era seu lugar como marido, pensou, cheio de culpa, um lugar que evitara nos últimos anos. Era deprimente ficar perto de Marina. Difícil. Mas aquela não era hora de fugir das obrigações, então ele ficou sentado junto à sua cabeceira durante o dia inteiro e noite adentro. Enxugava a testa dela quando Marina começava a suar e tentava fazê-la tomar um pouco de caldo morno quando estava serena." posição 4%
 

Ao ficar viúvo Phillip recebeu uma carta da prima distante de Marina,  a Srta Eloise Bridgerton, com quem começou a se corresponder e por se sentir  solitário e perdido para criar os filhos, resolver fazer uma proposta 'indecorosa' de casamento. 

"Phillip não podia se casar de novo até que o tradicional período de luto terminasse, mas isso não significava que não podia procurar. Suspirou, afundando no assento. Ele precisava de uma esposa. Praticamente qualquer uma serviria. Não se preocupava em como ela seria. Nem com a sua situação financeira. Também não precisava ser alguém que soubesse fazer contas de cabeça, falar francês ou cavalgar. Ela só precisava ser feliz. Será que isso era pedir muito em uma esposa? Um sorriso, pelo menos uma vez por dia? Talvez até mesmo uma gargalhada? E ela precisava amar os filhos dele. Ou pelo menos fingir tão bem que os dois nunca soubessem a diferença. Não era pedir muito, era?" posição 5%
E quando Eloise resolve seguir seus instintos e foge para conhecer Phillip e o conhece, começa a se sentir encantada por ele e até pelos filhos dele, crianças difíceis, por falta de carinho e atenção.

"Ele podia ser bem ranzinza às vezes, mas quando sorria… Eloise de repente entendeu ao que todas aquelas jovens se referiam quando falavam empolgadas sobre o sorriso de seu irmão Colin (que Eloise achava bastante comum, afinal de contas era só o Colin). Mas, quando Sir Phillip sorria, ele se transformava. Seus olhos escuros adquiriam um brilho travesso, cheio de humor e malícia, como se ele soubesse algo que ela desconhecia. Mas não era isso que fazia seu coração disparar. Afinal, Eloise era uma Bridgerton. Já tinha visto diversos brilhos travessos em olhares e se orgulhava de ser imune a eles." posição 37%
Senti falta da presença das irmãs Bridgerton, mas os irmãos, fazem uma participação engraçada, tensa e cheia de amor em 'Para Sir Phillip, com amor' e este pequeno trecho abaixo, mostra o tamanho do amor destes irmãos Bridgertons.

"– Não, deixe-me terminar. Você é uma pessoa especial, minha irmã. A vida nunca passa para você. Acredite em mim. Eu a vi crescer, e tive de ser seu pai em várias vezes em que só queria ser seu irmão. Os lábios dela se entreabriram e Eloise sentiu um aperto no peito. Ele estava certo. Tinha sido um pai para ela. Era um papel que nenhum dos dois queria para ele, mas que Anthony havia desempenhado durante anos, sem reclamar. Foi a vez dela de apertar a mão dele, não porque o amava, mas porque só agora havia percebido quantas coisas ele fizera por ela. – Você faz a vida acontecer, Eloise – continuou ele. – Você sempre tomou suas decisões, sempre esteve no controle. Às vezes pode não parecer, mas é verdade. " posição 51%
Eloise e Phillip e as crianças acabam tendo pouco tempo para se conhecerem antes do casamento. Mas tudo fica ainda mais legal após o casamento.

"Ora, agora era uma mulher casada e senhora do próprio lar. Sem falar que já era mãe de dois filhos. Nenhum de seus irmãos tivera de enfrentar as responsabilidades de ser pai tão de repente. Mas ela estava pronta para a tarefa. Tinha de estar. Endireitou os ombros, olhando determinadamente para seu reflexo no espelho enquanto escovava os cabelos. Ela era uma Bridgerton, ainda que esse não fosse mais seu sobrenome legal, e estava pronta para qualquer coisa." posição 70%
O amor que floresce entre Eloise e Phillip é um amor maduro e intenso, ambos não imaginavam que seriam capazes de amar e serem amados com tanta intensidade, o que faz o livro ficar ainda mais interessante e romântico.

"Ela preenchia tudo o que ele sempre desejara de forma tão maravilhosa que Phillip não percebera que Eloise fizera algo mais. Ela tocara e mudara seu coração. Ela o mudara. Ele a amava. Não tinha procurado o amor, nem se preocupara com isso, mas ali estava ele, e era a coisa mais preciosa que Phillip podia imaginar." posição 87%

A declaração de amor de ambos é das cenas mais lindas que já li...

"O rosto dele pareceu se contrair e o lábio inferior começou a tremer. Eloise ficou sem ar. Nunca tinha visto um homem chorar antes, a não ser seus irmãos, nunca nem chegara a pensar que era possível, mas então uma lágrima rolou lentamente pela bochecha de Phillip e parou no canto de sua boca. Ela estendeu a mão e secou-a. – Eu amo você – disse ele, com a voz embargada. – Não me importa se você não sentir o mesmo. Amo você e… e…
– Ah, Phillip – sussurrou ela, estendendo de novo a mão para tocar as lágrimas em seu rosto. – Eu amo você também." posição 91%

E a redenção de Phillip como homem e como pai é muito, muito cativante... tudo graças a força do amor e alegria de Eloise Bridgerton, ops... Eloise Crave.

"Ele não era seu pai, nunca seria… nunca poderia ser como ele. Não devia bancar o covarde e continuar empurrando os filhos para outras pessoas, tudo porque tinha medo de cometer erros. Ele cometeria erros. Era inevitável. Mas nenhum erro grave, e, com Eloise ao seu lado, estava certo de que poderia fazer qualquer coisa. Até mesmo conseguir lidar bem com os gêmeos." posição 94% 

 Estou querendo reler todos os livros, mas creio que só o farei após a conclusão da série... os próximos livros (pelo menos o sexto e sétimo) para o segundo semestre de 2015.

Estou mega ansiosa pelas histórias de Francesca, Hyacinth e Gregory Bridgerton.

1 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.