Minhas impressões: Starters - Lissa Price @Novo_Conceito #DominaçãoDistópica

Como disse anteriormente, aqui, eu não me encontro muito no 'clima' distópico, mas devo confessar que gostei muito de Starters... uma ideia muito original e envolvente.


A capa do livro é MARAVILHOSA, a fotografia não faz juz à capa (metalizada, quase um espelho, e com alto relevos) e nem esta resenha fará juz ao livro, espero que eu consiga passar pelo menos parte do quanto eu gostei para vocês...

Sinopse

No facebook a Editora Novo Conceito criou um jogo Starters, clique aqui e jogue.

Minhas impressões

Starters é um livro distópico, uma história com um 'universo' futurístico, em um pós guerra dos 'esporos' onde apenas os jovens (Starters) e os velhos (Enders), que foram vacinados, sobreviveram, os avós cuidam dos netos... mas alguns jovens, como Callie, Tyler, Michael e outros não tinham avós para cuidarem deles e vivem sozinhos, nas ruas, passando necessidade, e se escondendo dos inspetores e dos renegados.

"Percebi a preocupação que ele tinha no rosto, o olhar suave e gentil com o qual ele me encarava. É engraçado, eu nunca havia reparado muito nele quando morávamos na mesma rua. É estranho pensar que a Guerra dos Esporos é que tinha nos aproximado." pag 32

Tyler é o irmãozinho de Callie e é doente, com a saúde frágil, tem muitas dificuldades para sobreviver a tantas dificuldades, a sorte dos dois é que eles podem contar com Michael, um amigo, e os três formam uma família. Mas, existe uma empresa, que oferece muito dinheiro aos Starters para 'alugarem' seus corpos para os Enders ricos... a Prime Destinations.

"- Vou pensar muito em você. Vou ficar fora um bom tempo, um mês inteiro. Mas, quando eu voltar, vai ser para sempre. Não vou mais embora. E tudo vai ficar melhor. Certo?" pag 74

A Prime Destinations conseguiu uma forma de desconectar a mente do corpo, de forma que eles inserem a mente de um Ender em corpos de Starters, para que os Enders, com a média de 100 anos, possam voltar a fazer coisas que os seus corpos velhos não deixam. E é aí que Callie vai procurar uma forma de ganhar algum dinheiro para melhorar a vida de Tyler.

"Por que você assinou o contrato com a Prime?
- Meu irmão está doente.
Eu lamento.
Ela ficou em silêncio por um momento.
E vocês não têm avós.
- Não.
Então, era a ele que você queria entregar aquele dinheiro. Por meio de seu amigo.
- Sim, exatamente." pag 202

O que nenhum Starter sabe de verdade é que a Prime Destinations tem intenções escusas e muito poder sobre seus corpos. Quando Callie assina o contrato, de três aluguéis, dois curtos e um longo, ela só tem certeza que vai melhorar a sua vida e a do irmão, mas as coisas ficam tensas no meio do último aluguel... a inquilina, Helena Winterhill, é meio 'rebelde' e tem planos que a Prime Destinations sequer pode imaginar. E as coisas que acontecem nas instituições (estilo orfanatos) do governo são coisas que ocorrem em governos ditatoriais por todo o mundo e sempre aconteceram na História, basta lermos livros sobre as Grandes Guerras, sobre os governos do oriente médio... e é isso o que me deixa mais triste ao ler distopias, pois nos livros são 'ilusões' - ficção, que se assemelham muito ao que ainda acontece em alguns lugares do mundo.

"Sara olhou para mim e viu que eu conseguira escapar do complexo. Ela levou a mão direita até o peito, colocando o punho fechado sobre o coração. 
Ela não estava tentando escapar. Fizera aquilo para criar uma distração. Para me proteger. 
Eu repeti o gesto dela, fechando o punho sobre meu coração.
Aguente firme, Sara." pag 308

Callie consegue ficar consciente, durante este aluguel, meio que sua mente retorna ao corpo e ela acaba encontrando um jovem, neto de um senador muito importante, que pode ajudar ou atrapalhar os planos de Helena. E Callie acaba se encantando o jovem, Blake... e até se sentindo culpada em relação à Michael, um pequeno triângulo amoroso, no meio de toda a distopia.

"Já que eu provavelmente perdera Blake para sempre, a ideia de perder Michael também era impossível de aceitar." pag 215

O livro tem um bom enredo, nos cativa e nos prende e um final surpreendente que me deixou ansiosa pelo segundo livro, que se chamara Enders... a ser lançado em 2013.

Em alguns momentos o livro me lembrou da Trilogia Jogos Vorazes e a presença da voz de Helena na cabeça de Callie, me lembrou 'A Hospedeira', de Stephenie Meyer, que foi meu primeiro livro distópico, li há alguns anos, ainda em minha época Twilighter fervorosa, e que foi resenhado aqui no blog pela Nathy. Em breve A Hospedeira será lançado em filme.


0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.