Resenha de O começo do Adeus, Anne Tyler @novo_conceito

Oláááá pessoas,



Hoje venho falar de um dos lançamentos da Novo conceito, O começo do adeus. Preciso confessar que eu escolhi esse livro por motivos estritamente pessoais, pois há 5 meses eu mesma perdi alguém muito importante e até agora, não sei se disse adeus completamente.




Sinopse - O Começo do Adeus - Aprendendo a se despedir... - Anne Tyler

Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.




A história do protagonista Aaron segue mais ou menos essa linha. Ele era casado com uma médica, chamada Dorothy. É importante entendermos que ele é um personagem difícil pois uma possui uma deficiência no braço e na perna e pensa que está ok com isso, quando na verdade, não está e tem que lidar com uma irmã mandona e uma mãe superprotetora. Deu para entender que ele é muito difícil? Pois é. Guardem essa informação.

A Dorothy é uma médica que trabalha muito e não tem tempo para nada, incluindo refeições. Mas isso não significa que ela não ame muito o seu marido, só significa que ela é muito dedicada ao seu trabalho. Em um dia, após uma discussão de casal com seu marido, ela acaba morrendo em um acidente dentro da sua própria casa. Mais um menos um ano depois, ela começa a aparecer para o marido. Conforme ela vai aparecendo, ele vai nos mostrando passagens do passado dos dois.

“Eu costumava brincar com a ideia de que, ao morrermos, finalmente ficamos sabendo para que a vida serviu. Nunca imaginei que poderia descobrir isso quando outra pessoa morresse." Página 162
O problema do livro, para mim, é que ele foi decepcionante. Vou ser bem sincera em relação a isso pois a sinopse do livro é atraente e o tema também, só que a autora não conseguia evoluir com a história, que em muitos momentos se arrastou e muito e eu comecei a pensar, se a leitura ia chegar em algum lugar. A consequência disso, foi que eu não sei se gostei do Aaron. Claro que a autora consegue nos passar os sentimentos dele de uma forma convincente, mas quando a gente fica sem paciência e começa a achar tudo igual, a leitura não rende e a mensagem não é passada.

Vale lembrar que a minha opinião não significa que vocês não devam ler o livro se não quiserem, ok? Eu vivo dizendo aqui no blog que mesmo para se odiar um livro e falar mal dele, o mínimo que se deve fazer é lê-lo, ou pelo menos tentar. Não se baseiem pela opinião de outros pois a sua pode ser o oposto ;)

Até a próxima...

0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.