Resenha de Férias - Marian Keyes - By @beetarodrigues

Oi galerinha!

Com um pouco de correria por causa da faculdade e estágio, a leitura tem ficado um pouco de lado, nos últimos dias. Por isso, esse livro que vou falar pra vocês, eu li já tem algum tempo e gostei muito, mas ainda não tinha feito resenha. 

Eu já li Melancia, por recomendação, e adorei. Emprestei para algumas amigas, mas elas não conseguiram gostar. Enfim, não sei o que aconteceu. hahaha. Depois dele, eu quis ler outros da Marian Keyes. E como eles costumam ser um pouco caros, resolvi comprar em edição de bolso mesmo, mais barato, e super fofos em formato pequeno. 



Sinopse

Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga - pode-se mesmo dizer muy amiga - de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro - a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale... Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

Resenha

Nesse livro, quem nos conta, é a Rachel, a irmã de Claire (protagonista de Melancia). Dentre as irmãs, ela foi sempre a mais problemática, um pouco de ovelha negra da família. Não é a toa que ela está indo para reabilitação para se tratar das drogas, depois de quase morrer, e a família achar que ela estava tentando se matar.

No começo, ela acha que a experiência não passa de um pequeno período de férias, de trabalho, da família, do namorado. Ela acha que passar um tempo ali não vai fazer mal, e que deve fazer até bem.. como se fosse um spa. Mas a passagem dela pelo Claustro vai ser mais difícil que isso.

O livro vai tratar justamente da trajetória dela na reabilitação, como ela consegue passar semana por semana, conhecendo sobre si mesmo, aprendendo a se controlar, e descobrindo um pouco mais o porque ela fica desse jeito, e o que as drogas tem a ver com toda a situação.

Ela tem que lidar com as pessoas completamente diferentes na Clínica, e tenta se aproximar de Chris, um homem que pra ela é um sonho. Ainda mais que ela acabou de brigar e se separar de Luke, seu (ex) namorado. 

É muito bom ver o crescimento de Rachel, o envolvimento da família em todo o processo de autoconhecimento, e Luke também vai ajudar nessa tarefa, o que vai ser muito bom. Rachel é uma mulher como muitas, com defeitos, sentimentos, erros, acertos, e é muito interessante passar por essa experiência com ela. Eu juro, você acaba se conhecendo um pouco mais. Você para pra pensar em algumas situações da sua vida, em alguns aspectos em que você nunca tinha parado pra pensar. Não é clichê, é verdade!

Muitos devem querer saber se precisa ler Melancia, e vou dizer, depende de como você é com leitura. Se você quer saber só a história da Rachel, viciada e tudo mais, lê só Férias. Mas se quiser conhecer a família Walsh inteira,e gosta de ler tudo na ordem certa (sou dessas, é meio um toc, sei lá, hahaha), leia Melancia antes. O que acontece é que quando a Rachel vai falar de Claire, ela fala no presente, contando de alguns acontecimentos apenas relatados em Melancia. Mas nada que seja estritamente necessário ler um para entender outro.

Eu adorei a escrita da Marian Keyes e quero comprar muitos outros livros dela, e dessa família Walsh. É uma leitura de menininha sim, e só assim pra conseguir fluir tão bem a leitura. Você se identifica, ri, se apaixona, se emociona, tudo junto das personagens. Altamente recomendada qualquer leitura dela, gente!




0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.