Minhas impressões: Segredos - Nora Roberts @bertrandbrasil

Nora Roberts é cativante, é uma das autoras que me fazem ler um livro de 630 páginas em um dia... o que não é nenhuma novidade, já que Nora é minha autora favorita de todo o mundo. Estava eu pensando qual seria o meu próximo livro, minha próxima leitura, quando, no Dia do Rock vejo um tweet da Rosana Gutierrez, do Nora Roberts Brasil, falando sobre 'Segredos' ter um grupo de rockeiros... OMG eu comecei a ler o livro na noite de sexta (13/07) e terminei sua leitura na madrugada de sábado para domingo... eu AMEI todos os personagens...




Sinopse


Minhas impressões

O livro tem início em 1990, quando o livro foi escrito, mas é apenas uma antecipação do que acontece no final do livro... Segredos realmente começa emLondres, 1967, quando Emma McAvoy, aos 3 anos tem seu primeiro encontro com seu pai, Brian McAvoy, o líder da bandaDevastation, cujos integrantes: Brian, Johnno, Stevie, P.M. são amigos, mas tem que lidar com a fama, com as dificuldades de serem famosos: imprensa, bebidas, drogas, relacionamentos.
"Emma era uma criança, e podia reconhecer a magia sem a menor dificuldade. Enquanto vivesse, guardaria aquela imagem na mente e no coração, quatro jovens num palco, envoltos pela luz, pela sorte e pela música." pag 69

"- Quando eu tinha três anos, observei você... - Ela levantou os olhos para Brian - ... todos vocês... entrarem no palco. Não sabia nada sobre coisas como harmonia, ritmos, batidas. Tudo o que via era a magia. E ainda vejo, Johnno, cada vez que vejo vocês quatro no palco." pag 596

Emma é filha de Brian com uma maluca chamada Jane, que nunca amou realmente, nunca amou Brian ou Emma, só tinha um ego enorme, uma ganancia horrível e que já era viciada e alcóolotra e nunca foi boa mãe, batendo em Emma e a desmerecendo sempre, mas Brian se apaixona pela menina no primeiro encontro, e faz um acordo com 'a louca' para criar a filha. Levando para sua casa, onde vive com Bev, sua futura esposa, grávida. Após o casamento e mesmo antes do nascimento do filho deles, Darren, eles vão se tornando uma família unida e com muito amor e carinho apesar da vida louca do mundo do Rock, das viagens da Devastation, mas uma tragédia, quando Emma tem 6 anos, muda muitas coisas, exceto a relação de amor entre Emma e Da (a forma como ela chama seu pai, que significa pai em Irlandês) e também com todos os homens da banda. É uma relação de amor muito linda, desde que ela é uma pequena e indefesa menina, os quatro são como se fossem tios dela.

"E era difícil olhar para Emma sem sentir alguma coisa. Não era uma criança que se fundisse com móveis e utensílios, por mais quieta e discreta que tentasse ser. Era a sua aparência, sem dúvida. O mesmo rosto elegante e angelical do pai. Mais do que isso, era o senso de inocência, uma inocência que por si só era um milagre, ao se considerar como a criança vivera durante os três primeiros anos de sua vida. Uma inocência e uma aceitação, pensou Bev." pag 42


"Quando interrogara o pai, ele lhe comentara apenas que Stevie perdera o controle e estava recebendo ajuda. Ela não devia se preocupar. Só que Emma se preocupava. Eram sua família, a única família que lhe restara. Perdera Darren. Precisava ter certeza que não perderia o resto. Com todo cuidado, em sua melhor caligrafia, ela começou a escrever cartas." pag 210

Após a tragédia, ela fica conhecendo o Tenente Kesselring que a interroga com muito carinho, falando do filho Michael, um menino destemido de 11 anos, à época, e que já cativa Emma, mesmo antes de se encontrarem pessoalmente. E com o passar dos anos, ocorrem alguns encontros entre Emma e Michael, quando ela tem 6 e ele 11 anos, depois quando ela tem 13 e ele 18 anos, mais na frente quando ela tem 18 e ele 23, eles já estão mais cientes da atração, ocorre o primeiro beijo, mas o relacionamento não segue em frente por diversos motivos, só vai dar certo mais tarde.

"- Enquanto esperava sua chegada, pensei que já nos conhecemos há dezoito anos. Ele passou um dedo pelo dorso da mão de Emma. Ela não teve nenhum sobressalto desta vez, mas houve um momento de imobilidade. - Dezoito anos... embora eu possa contar nos dedos de uma só mão os dias em que estive com você." pag 473


Emma é uma menina inocente e desconfiada por natureza, acaba nãpor ter vivido em uma escola católica, de freiras, onde tem uma única e verdadeira AMIGA, Marianne com quem divide o quarto e depois um loft em New York, onde vão fazer faculdade contra a vontade dos pais. Emma vai estudar fotografia, sua paixão desde a infância e Marianne artes.

"- Só estou dizendo que ela passou a maior parte de sua vida naquela droga de escola. - Na cama ao lado da sua - lembrou Johnno. Ela naõ sentia a menor disposição para rir. - É verdade. Mas também passei muito tempo com vocês, vendo coisas, sendo parte de coisas. Marianne ia da escola para o acampamento de verão e a casa dos pais. Sei que ela apresenta uma fachada e tanto, mas é muito ingênua." pag 251

Os relacionamentos neste livro são encantadores, principalmente os entre família e amigos, com algumas dificuldades como os relacionamentos de Emma com a mãe, que é inexistente, mas doentio por parte da mãe. E também o relacionamento de Emma com o marido, que não é tudo o que ela pensou ser.

"- Todos estamos velhos. Não demora muito para você cometer o supremo insulto de nos transformar em avôs. - Não se preocupe que empurraremos sua cadeira de balanço até o microfone - disse Emma, inclinando a garrafa. - Você é insuportável, Emma. - Aprendi com os melhores. - Rindo, ela passou o braço pelos ombros de Johnno. - Pense da seguinte maneira: não houve ninguém no palco hoje que tivesse sobrevivido a duas décadas no inferno do rock. Vocês são praticamente um monumento." pag 595

Interessante a forma como Nora Roberts fala da violência doméstica, tanto contra crianças quanto a mulher. A forma como uma mesma pessoa, pode sofrer os dois tipos de violência, mesmo tendo sido amada por outras pessoas.

O livro fala sobre o rock, em momentos históricos do rock como Woodstock, como a geração do sexo-drogas-rock e mostra as dificuldades do sucesso e como uma banda viveu e venceu e se tornou um Ícone junto a nomes famosos como Beatles, Rolling Stone... claro que é uma banda ficcional, mas amei como Nora descreve tudo o que aconteceu ou pode ter acontecido a pessoas deste mundo. Adorei cada um dos integrantes da banda e senti como se eles fossem meio U2, minha banda preferida, apesar de apenas Brian ser irlandês... eu gostaria de ouvir as músicas que Brian e Johnno compunham.

"Ela olhou para trás quando o pai começou a cantar Soldier Blues. Era outra canção sobre a guerra, a letra agressiva acompanhando um ritmo mais agressivo. Emma não sabia por que aquela música a atraía tanto. Talvez fosse por causa do estilo vigoroso de P.M. na bateria, batendo os pratos com frequência, ou pelo acelerado frenético da guitarra de Stevie. Mas, quando a voz de Johnno se fundiu com a de Brian, ela levantou a câmera." pag 162

A relação de Emma e Michael é tão linda, como sempre em todos os livros de Nora, a construção da relação é linda e o amor é sempre redentor. E apesar de a relação de amor principal da história ser Emma e Michael, a relação de Brian e Bev também é linda, apesar de todas as dificuldades.

"- Sempre tive medo de que você não precisasse realmente de mim, não da maneira como eu precisava de você. - Estava enganada." pag 499

Nos livros avulsos de Nora Roberts a parte policial é quase sempre tensa e em Segredos fiquei aprensiva em diversas partes, e tentando descobrir que seriam os bandidos e por vezes com medo de ser alguém que eu amava. Muito emocionante, em partes me lembrou o primeiro livro Nora Roberts que li: A Pousada do Fim do Rio, por ter um assassinato não descoberto por anos, uma relação entre duas pessoas que se conhecem desde crianças. Com certeza Segredos será uma dos meus NR favoritos.

Capas originais... em inglês:


0 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.