Aqui tem banca Harlequin #03 - Um sol para Dois - Sharon Kendrick (Tesouros @harlequinbrasil)




Post fixo em homenagem aos romances de banca Harlequin, sempre às quarta-feira.




Eu estava com DPL (depressão pós livro) após ler seguidamentes 3 ou 4 livros românticos (Destino, Fazendo meu filme 4, Presentes da Vida e The last Boyfriend) e não queria ler outro livro que não fosse romântico... até tentei começar um outro, não romântico, então peguei 'Um sol para dois' para preparar o Aqui tem banca Harlequin desta semana e não me arrependi.

Sinopse

Não gostei muito desta sinopse... mas é que está na contracapa do livro...


Minhas impressões

Este livro, delicioso e pequeno, que li em 3 horas... é daqueles que nos entretem e nos aquecem...

Passado parte na Grécia, parte em Londres, conta a história de Jade, é uma jovem jornalista que passando férias na Grécia conhece Constantine Sioulas, um grego, muito atencioso e lindo... que com ela passa lindos dias de amizade e carinho, e eles se apaixonam... mas ambos não contam quem realmente são, e quando tudo é descoberto as coisas ficam meio complicadas e estranhas para Jade, e para Constantine também... e enquanto isso as coisas esquentam...

Não posso dizer nada mais... apenas que vale a pena ler, este Tesouro Harlequin.


Citações

"Ele era um estranho, sim, mas ela o reconheceu imediatamente. Um homem como aquele não se esquece nunca, ainda mais quando sua presença dominava qualquer mulher, como tinha feito com Jade." pag 07


"Jade olhou bem para Constantine e tomou uma decisão. Esta era uma noite especial, uma noite cheia de magia que logo se tornaria uma simples lembrança. Isso era uma grande fantasia, então por que estragá-la com coisas amargas, como a realidade?" pag 39

"Ela nunca tinha se sentido tão magoada e desgostosa como estava agora. E zangada demais para questionar a sugestão absurda dele, de que tinha sido enviada à Grécia para entrevistá-lo." pag 69

"Ela nunca conheceu um homem igual a ele. Alguém tão forte, tão seguro. Alguém em quem se apoiar." pag 117

"Acho que não existem palavras para descrever, nem na sua língua nem na minha. Uma explosão ou implosão. Fiquei transtornado. Louco. Era uma necessidad imensa de estar do seu lado, sem explicação lógica." pag 176