Juntos pelo Acaso

*Aumente o som para ler o post*

Eu havia visto o trailer desse filme sem ter nada específico em mente e gostei da abordagem, quando tive a oportunidade de assistir concluí coisas importantíssimas sobre o meu gosto pelo cinema. Sou crítica de mais em alguns pontos, mas acho que isso faz parte, nem sempre gostamos de tudo, mas temos que ter a mente aberta para o que nos disposmos a fazer, nesse caso, assistir filmes!


Holly Berenson (Katherine Heigl), uma excelente cozinheira que está prestes a abrir seu próprio negócio, e Eric Messer (Josh Duhamel), assistente de produção de um programa de esportes, se conhecem num encontro arranjado pelos seus melhores amigos, mas o primeiro encontro (que nem ao menos chegou a acontecer) é um verdadeiro desastre. A vida os une por causa dos amigos que se casam e iniciam uma família. Os dois não se suportam e nunca perdem a chance de se alfinetarem. A única coisa que eles têm em comum é a paixão pela afilhada Sophie (Alexis Clagett/Brynn Clagett), uma menininha linda de 1 ano de idade. Só que um acidente fatal deixa a menina órfã e Holly e Messer foram designados, no testamento dos pais, para serem seus guardiões legais. É nesse ponto que começam os problemas! Decididos a serem bons "pais" para a menina, eles se mudam para a casa dos amigos e tentam se entender, mas todos sabem como isso é impossível, eles são completamente opostos e nunca concordam em nada e, para piorar, o peso da responsabilidade mexe com eles de uma forme muito forte e os dois ficam sem rumo. Mas chega um momento em que é preciso analisar seus sentimentos e decidir o que realmente vale a pena!

O filme conta com pontos dramáticos, principalmente após a morte dos pais de Sophie, mas no geral é uma comédia romântica bem gostosa de assistir. Messer, muito bem interpretado por Josh Duhamel que estava hilário, não perde a chance de irritar Holly, mais uma personagem engraçada de Katherine Heigl que anda com tudo no cinema ultimamente. Quando os dois passam a conviver juntos a tensão toma proporções catastróficas, eles brigam e nunca entram num acordo, mas quando percebem que são responsáveis por uma vida as coisas tomam outra forma e é preciso deixar as picuinhas de lado.

Achei um filme muito divertido, mas confesso que não é um dos melhores, está mais para um entretenimento light, mas isso não impede ninguém de assistir e gostar! Existem cenas bem exageradas, como quando eles comem bolo com maconha, exageradas mas hilárias, existem cenas irritantes como quando eles discutem por bobeira, irritantes mas divertidas...rs' É uma produção que traz um pouco de tudo e o romance é uma graça, até porque, quem diria que o garanhão Messer poderia se apaixonar?

Na minha humilde opinião,  as melhores partes são as que eles aprendem a lidar com a "filha" e ela ensina muito mais pra eles do que eles pra ela. Um filme que trata assuntos importantes de forma madura e divertida e nos faz torcer pelos personagens no final!!



Messer: Ela tava doente!
Holly: Ah é? E o que você ia fazer, curá-la com seu pênis mágico?
_____

Messer: Gerenciar um bebê não é como gerenciar uma padaria!
Holly: Eu não disse que era.
Messer: Fazem uma zona, fazem xixi nas coisas, eles mordem, são praticamente cachorros! Um cachorro é melhor porque sabe que não deve lamber as tomadas.
_____

Messer: Podemos tentar a família de nove filhos, eles sabem como manter uma criança viva! A streaper pareceu legal!
_____

Holly (bêbada): Você sabe que você é um idiota, não sabe? É tão bom dizer isso na sua cara, eu digo isso nas suas costas há anos!
_____

Amy (babá): Eu acho que vocês dois fazem um lindo casal!
Holly: Ela disse o mesmo sobre a Taylor Swift e aquele garoto do Crepúsculo.




###









7 comentários :

Postar um comentário

Adoramos saber o que você está achando dos posts e do blog...

Se você conhece o livro, por favor... ao comentar não diga o que acontece... isso é spoiler!

Deixe seu nome e/ou twitter.